Pular para o conteúdo principal

Especial Olimpíadas - Nomes que se destacaram nos jogos






Uma das dinâmicas mais bacanas para trabalhar em sala de aula quando o assunto é Jogos Olímpicos é poder apresentar os protagonistas dessas proezas que levaram o Brasil ao reconhecimento mundial. Neste terceiro post da série vamos citar alguns deles e explicar por que cada atleta teve destaque nas competições.

1. Guilherme Paraense
Foi o primeiro atleta brasileiro a conquistar uma medalha de ouro olímpica, em 1920. Na ocasião, Paraense, do tiro, competia com um revólver emprestado da delegação americana, porque um vendaval encheu sua arma de areia e a estragou.
Outros nomes:
• Afrânio da Costa
 Dário Barbosa

2. Maria Lenk
Foi a primeira mulher brasileira a participar de uma Olimpíada. Mais do que isso: foi a primeira atleta sul-americana na competição. Tinha apenas 17 anos e participou dos Jogos realizados em Los Angeles. Chegou às semifinais da natação, na modalidade 200m peito.



3. João do Pulo
João Carlos de Oliveira (João do Pulo) foi um dos grandes nomes do salto brasileiro. Nunca levou o ouro olímpico, mas foi um atleta que impulsionou a modalidade e serviu de exemplo para outros competidores brasileiros.


4. Torben Grael
Brasileiro que coleciona medalhas olímpicas de todas as cores. O iatista, apelidado de Turbina, conquistou cinco medalhas olímpicas, sendo duas de ouro. A paixão pela vela está na família: Grael aprendeu a velejar com o avô aos cinco anos de idade e iniciou a carreira ao lado do irmão Lars Grael, também medalhista olímpico.

Outros nomes:
Robert Scheidt

5. Oscar Schmidt
É um dos maiores atletas do basquete brasileiro de todos os tempos. Nunca levou uma medalha de ouro para a casa, mas participou de cinco Olimpíadas: Moscou, Los Angeles, Seul, Barcelona e Atlanta. Embora nunca tenha subido no lugar mais alto do pódio, é o atleta com o maior número de pontos no basquete olímpico: 1.093.



6. Joaquim Cruz
O único atleta brasileiro a vencer uma prova de pista em uma Olimpíada. Desembarcou em Los Angeles como uma das grandes promessas para a competição. Nos Jogos, foi melhorando o tempo a cada corrida e, na última competição do 800m, bateu o recorde mundial, chegando 3 metros à frente do britânico Sebastian Coe.


7. Gustavo Borges
Referência na natação nacional e exemplo para uma linhagem de atletas olímpicos que hoje arrasam nas piscinas. A primeira medalha, de prata, viria em Barcelona, mas foi em Atlanta que Gustavo se consagrou: além de uma medalha de prata e outra de bronze, dividiu o pódio com o brasileiro Fernando Scherer (Xuxa), com quem competiu no revezamento 4 x 100m livre.


8. Diego Hypólito
Sua primeira aparição foi nos Jogos Olímpicos de Pequim, na China. No evento, Diego se apresentou em dois aparelhos durante a fase qualificatória: salto e solo. No salto, só executou o primeiro e não pôde ir à final. Já no solo obteve 15.950 pontos e classificou-se na primeira posição.


9. Daiane dos Santos
Daiane fez parte da primeira seleção brasileira completa a disputar uma edição olímpica, nos Jogos de Atenas, repetindo a presença nas edições seguintes, nas Olimpíadas de Pequim e Londres.


10. Maurren Maggi
Oito anos depois de entrar como uma das favoritas em Sydney 2000, a saltadora e velocista brasileira tornou-se o maior nome da história do atletismo feminino do Brasil ao ganhar a medalha de ouro no salto em distância dos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008, saltando 7,04 metros.


11. César Cielo Filho
Em Pequim ganhou a primeira medalha de bronze na prova dos 100 metros livre. Já nos 50 metros livre, conquistou a medalha de ouro, quebrando o recorde olímpico com o tempo de 21s30, ficando a dois centésimos do recorde mundial (21s28), e se tornou o primeiro brasileiro campeão olímpico na natação.


12. Hortência
A ex-jogadora de basquete brasileira é considerada uma das maiores atletas de basquetebol de todos os tempos. Na modalidade feminina, a equipe do Brasil conquistou uma inédita prata olímpica ao perder a final para a tradicional equipe dos Estados Unidos.

13. Robson Caetano
Especializado em corridas de curta distância, participou de quatro Jogos Olímpicos, ganhando duas medalhas de bronze, uma nos 200 metros rasos, em Seul 1988, e outra no revezamento 4x100 m, em Atlanta 1996.


14. Márcia Narloch
Considerada a melhor do país no atletismo feminino brasileiro, Márcia participou de 3 Olimpíadas: Barcelona, Atlanta e Atenas. Atualmente é coordenadora dos Polos de Corrida do Benefício Caminhadas & Corridas da Appai.


15. Giba
Um dos maiores nomes do vôlei na história, Giba participou de 3 Olimpíadas. Em 2004, conquistou medalha de ouro em Atenas. Já em 2008, em Pequim, e 2012, em Londres, levou a medalha de prata.


Outros nomes:
Bernard Rajzman
Bernardinho

16. Guga
Gustavo Kuerten é considerado o maior tenista da história do Brasil e um dos maiores da história mundial desse esporte. Guga participou das Olimpíadas de Sidney e de Atenas.






Outro nome:
Maria Esther Bueno

17. Tiago Camilo
Medalhista olímpico de prata com apenas 18 anos, nos Jogos de Sydney, Tiago Camilo repetiu o feito em 2008, nos Jogos de Pequim, dessa vez conquistando a medalha de bronze.



Outros nomes:

Lembrando que os posts serão publicados durante o mês de fevereiro. O próximo apresentará todas as novidades sobre os Jogos Olímpicos 2016, que serão realizados no Rio de Janeiro. Até lá!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A fotografia e o poder da imagem no mundo moderno

Da pintura como única forma de reproduzir o que os olhos presenciavam até as modernas maneiras de registrar a realidade, a fotografia descreveu uma trajetória cercada de muitas discussões a respeito do lugar que essa atividade deveria desempenhar no cotidiano das pessoas e no engrandecimento da cultura. O inventor francês Louis Daguerre foi o primeiro a criar algo que sugerisse a substituição dos artistas como forma de reproduzir visualmente a realidade. Em 1839 é anunciado o daguerreótipo, o primeiro ancestral das máquinas fotográficas. Na verdade muitos pesquisadores autônomos já haviam trabalhado e obtido alguns êxitos em desenvolver maneiras de reproduzir a imagem.
O mérito de Daguerre foi desenvolver uma máquina que dava início ao que iria se transformar numa das características que mais colaborariam para a popularização do ato de retratar: a possibilidade de cada pessoa poder utilizar sua própria câmera e produzir suas imagens, em substituição à habilidade individual de artistas …

Prestigiar o professor é o grande barato desta bienal

Conheça o trabalho de professores como você, participando das nossas tardes de autógrafo. Serão mais de 30 autores de diversos gêneros, como o colunista do blog da Appai e revisor da Revista Appai Educar, Sandro Gomes.

As três edições do Altos Papos já estão com inscrições abertas na página da Educação Continuada no Portal do Associado. Leia atentamente as condições de horário e transporte antes de confirmar sua presença.
Aproveite a visita e “seja capa” da Revista Appai Educar. Marque suas fotos com #SouAppai e apareça em nosso Facebook.
E ainda divirta-se em nosso espaço interativo e conheça um pouco mais sobre a appai.
PROGRAMAÇÃO COMPLETA


Setembro em ritmo de novidade!

Agora você pode conhecer os ritmos mais badalados do momento através das Oficinas de Dança! E melhor, não precisa estar matriculado para participar! É muito fácil!
Quem já está inscrito num espaço de dança é só conferir as datas e horários disponíveis no seu espaço. Para quem ainda não conhece, é o momento de experimentar, sem compromisso, a novidade do Benefício Dança, os diversos ritmos oferecidos, como: West Coasting Swing - Dança Cigana - Zumba - Charme.

A duração de cada oficina é de a 1 hora. Confira a programação abaixo:
------------------------------------- Ritmo: West Coasting Swing
Classic Festas
Estrada do Mendanha, 1531 Próximo ao Clube dos Aliados Campo Grande 04/09/17 20h Clube dos Oficiais da Marinha
Av. Passos, 122/2º andarCentro 11/09/17 19h Dançando com Arte
R. Gov. Portela, 1084 – Centro, Nova Iguaçu/RJNova Iguaçu 15/09/17 17h30 AC. Bio Fitness
Av. Cesário de Melo, 4799 salas 201 a 204Campo

3 verbos para a educação do século XXI

É fato, as gerações atuais pensam e vivem de forma bem diferente das pertencentes às décadas anteriores. A conexão digital traz respostas imediatas às dúvidas, os conteúdos são apresentados de forma qualitativa e diversificada, e, por isso mesmo, a dinâmica da educação se transforma e se renova. Esse novo contexto traz consigo a demanda por novas ações, e são os grandes especialistas em educação que apontam os pilares/tendências próprios para o século XXI. Para tornar o tema mais aplicável, vamos apresentar essas tendências por meio de três verbos:
CURAR CONECTAR PERSONALIZAR
CURAR O verbo “curar” (cuidar, zelar) carrega consigo algumas preciosas ideias que muito se afinam com o educar. Embora tenha se originado no contexto das artes, o conceito apresenta uma forte e intensa aplicação ao contexto pedagógico. O curador em educação é um guia competente, alguém que tem toda a condição de cuidar, mas não apenas isso. O curador da educação tem um olhar atento e crítico para as necessidades dos…

Rádio e TV Appai ganham programação especial para a Bienal Livro Rio

A TV Appai vai transmitir ao vivo os encontros “Altos Papos” direto de nosso estande na Bienal. Durante os dias de evento reportagens especiais também vão ser apresentadas.  E ainda, quem for ao nosso estande vai poder acompanhar uma mostra de nossos principais programas através de um telão de LED instalado de forma estratégica. São atrações como “Professor Curioso”, “Talentos A+” e vídeos de corridas.
Por sua vez, a Rádio Appai está com uma programação de serviço para ajudar quem for visitar a maior feira literária do país. Trazemos diariamente dicas de transporte de como chegar e sair dos Pavilhões do Riocentro. Também estamos com um espaço para serviço em que informamos os horários dos eventos e toda a agenda.
Juntas a Rádio e a TV Appai contam em suas programações a história da Bienal. Ao mesmo tempo em que é a maior e mais famosa do mundo, a Feira de Livros de Frankfurt, na Alemanha, também é a mais antiga. Ela começou a ser promovida logo após a imprensa ter sido inventada, não à …