Pular para o conteúdo principal

Entre perseguições e degredos, povo cigano deixou sua contribuição para a formação da cultura brasileira

A pintura que ilustra a postagem, de autoria de Debret, é intitulada “Interior de casa cigana”, de 1820
Muitas pessoas, habituadas a ver grupos ciganos como figuras misteriosas ou exóticas, sequer imaginam que esse povo originário provavelmente da Índia participa da vida brasileira desde os primeiros tempos da colonização. Isso porque muitos ciganos que viviam na península Ibérica seriam mandados para as terras da América, a partir de 1560 ou 70, seja por degredo ou interessados em que esse povo de cultura predominantemente nômade se espalhasse pelo país, promovendo a ocupação do território e aumentando a população da colônia.

Nos séculos seguintes essas migrações continuariam ocorrendo e a presença de ciganos começaria a se notabilizar já na Bahia do século XVII, então a região mais rica e importante da colônia brasileira. Menos de cem anos depois muitos grupos iniciariam uma importante migração em direção ao Sudeste, principalmente atraídos pelo Ciclo do Ouro das Minas Gerais, já que tradicionalmente grupos ciganos se ocupavam de atividades como a caldeiraria, produzindo objetos como correntes e bijuterias, além, é claro, de poderem tentar na promissora atividade de mineração atingir o enriquecimento. A grande circulação de ciganos pelo território do Brasil colonial também ocorreu devido a muitos degredos internos. É que, persistindo na América a visão negativa que sobre eles pesava na Europa, frequentemente ficavam associados a desordens públicas ou crimes, o que lhes ocasionariam algumas punições, como a condenação a viver em áreas tidas como selvagens ou inóspitas na época, como a Amazônia e as terras do atual Centro-Oeste brasileiro.

Um dos momentos mais marcantes para a cultura cigana no Brasil foi a chegada de um grupo junto com a família real de Portugal no início do século XIX. Alguns historiadores fazem menção a uma certa simpatia de Dom João por esse povo, principalmente pela alegria que proporcionavam devido a seus costumes muito fincados em festas, danças, músicas e celebrações de felicidade. No Rio de Janeiro, capital brasileira de então, acabariam por estabelecer algumas raízes relevantes e se destacarem no cotidiano da cidade. Inicialmente os ciganos se instalariam em áreas desvalorizadas do centro da capital por serem formadas por terrenos pantanosos ou charcos, que por isso eram desprezados pelos proprietários. Um desses locais se tornaria bastante conhecido algumas décadas mais tarde. O “campo dos ciganos” anos mais tarde ficaria conhecido como “Campo de Santana” e seria palco da Proclamação da República. Nas ruas próximas a esse local, muitos ciganos moravam e agitavam as noites regadas a muito vinho, música e danças. Não tardou para que esses locais fossem procurados por todo tipo de gente interessada em bebida e diversão, pois muitos bordéis e botequins passariam com o tempo a funcionar nessa região, que destoava de outras localidades em geral muito carolas e tradicionais. A cultura da boemia carioca tinha assim seu início nas áreas de grande concentração de ciganos, que eram também conhecidos por “raça boêmia”, em virtude de muitos grupos habitarem e serem provenientes dessa região da atual República Tcheca.

Muitos ciganos conseguiriam enriquecer durante o período posterior à chegada da corte portuguesa, sendo a atividade do tráfico de escravos uma das que mais propiciariam essa ascensão social de alguns indivíduos de origem cigana. A pele amorenada, em geral um empecilho para as oportunidades no Brasil daquele período, em grande parte das vezes não era problema para os ciganos, pois muitos dos que chegavam da Europa eram brancos, resultante de cruzamento de ciganos tradicionais com caucasianos, já que ser cigano não é algo que dependa do sangue ou da raça, bastando adotar os costumes desse povo para ser aceito entre eles.

Outros indivíduos de origem cigana conseguiriam viver em condições relativamente dignas, destoando da maioria de seus irmãos, que, sempre muito perseguidos, viviam quase sempre em situação de vida precária. A atividade de meirinho, que corresponde mais ou menos ao que hoje entendemos por “oficiais de justiça”, acabou sendo muito praticada por ciganos. Num tempo em que muito dificilmente alguém desse povo conseguiria uma vaga num dos disputadíssimos postos de trabalho do funcionalismo público, a carreira de meirinho acabava sendo a porta de entrada para muitos ciganos. Primeiro, porque essa era considerada uma atividade muito mal vista pela população, pois a esses funcionários cabia executar atividades muito impopulares como anunciar decretos de prisão ou cumprir decretos de autoridades que determinavam confisco de bens. Assim, em geral ninguém se importava com o fato de essa função pública ser realizada por um cigano. Pra completar, tratava-se de um cargo vitalício, que era herdado pelos descendentes, o que colaboraria para criar uma verdadeira dinastia cigana nesse ramo do funcionalismo. Mas a maioria dos indivíduos de origem cigana vivia em situação de grande penúria social no Brasil, muitas vezes porque só conseguiam viver em paz, escapando a perseguições, em áreas muito afastadas dos grandes centros, o que explica a grande incidência de ciganos na região Nordeste. Na cidade de Sousa, por exemplo, em pleno sertão paraibano, está instalada uma das maiores comunidades ciganas do país, estimada em mais de duzentas famílias.

Só recentemente a situação dos ciganos no Brasil começou a receber reconhecimento por parte das políticas de estado. A constituição promulgada em 1888 consagrou ou ciganos como uma das minorias étnicas do país e, a partir de 2002, começaram a se beneficiar com direitos de cidadania conferidos a toda a população brasileira. Suas tradições também tiveram reconhecimento, com a instituição do Dia Nacional do Cigano no dia 24 de maio, quando esse povo celebra sua padroeira, Santa Sara Kali. É verdade que entre nós a imagem negativa que a eles foi relegada através dos tempos, principalmente de sua instalação no continente europeu, não deixaria de existir, mas algumas manifestações importantes, como a popularidade de grupos dedicados a danças e músicas ciganas e a ocorrência de personagens desse povo em livros e novelas são sinais de que suas contribuições estão entre aquelas legitimadas pela maioria do povo brasileiro.

Se você gostou desse texto, curta a página: facebook.com/arteseletras2016


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pedro II abre concurso federal para professor

Segue até o próximo dia 17 as inscrições para o concurso para preenchimento de vagas para novos professores no tradicional Colégio Pedro II. São 14 cargos efetivos nos ensinos Básico, Técnico e Tecnológico. Além disso os organizadores aproveitam para criar um banco de reservas para cada disciplina oferecida.
As inscrições são somente virtuais pelo site www.cp2.g12.br. Após preencher a ficha é necessário imprimir a GRU - Guia de Recolhimento da União - e efetuar o pagamento da taxa no valor de R$ 160,00. O concurso terá validade de 1 ano e poderá ser prorrogado por igual período.
Pertencente ao Governo Federal, o Pedro II é o terceiro colégio mais antigo do país ainda em atividade, depois do Ginásio Pernambucano e do Atheneu Norte-Riograndense. O Pedro II tem 13 mil alunos que estudam em 14 campi, sendo 12 no município do Rio de Janeiro, um em Niterói e um em Duque de Caxias, além de uma unidade de educação infantil.
Salário pode dobrar com titulação profissionalO salário básico é de R$ 4…

Passo a passo para utilizar o Benefício Boa Viagem

Olá, associado! Ainda tem dúvidas em relação ao Benefício Boa Viagem? No post de hoje vamos esclarecer essas questões e ainda mostrar o passo a passo de como utilizar este benefício.
1 – Leia o RegulamentoO primeiro passo é ler o regulamento e ficar atento às regras, cláusulas e condições do benefício. O regulamento está disponível em: http://www.appai.org.br/beneficio-boa-viagem.aspx
Site da Appai → Benefício Boa Viagem → Regulamento

2 – Pousadas Conveniadas O associado e beneficiário, regulares na Appai, deverão verificar os hotéis e pousadas no Guia do Associado ou em nosso site e fazer a sua escolha. São diversas opções de roteiros, que vão desde a calmaria da região serrana até as mais belas praias do Estado do Rio de Janeiro.
Site da Appai → Benefício Boa Viagem → Destinos e Pousadas

3 – ReservasDepois de escolher o destino e a pousada de sua preferência, o associado e/ou beneficiário deverão entrar em contato diretamente com o estabelecimento conveniado para fazer a reserva de estad…

A verdade sobre a "Loura do Banheiro"

Sem dúvida nenhuma: é a lenda urbana mais forte no Brasil, que de tempos em tempos ressurge como uma fênix, com uma nova roupagem, mas a essência continua a mesma. A “Mulher Loura”, como é conhecida no Rio, uma redundância em gênero que deixa os professores de português de cabelo em pé. Porém, na verdade ela assusta mesmo é gerações de estudantes. Certamente muitos professores que hoje tentam, em vão, acalmar seus alunos e desmistificar já foram aterrorizados por ela, um dia, quando frequentavam as carteiras escolares. A histeria coletiva chegou ao ponto de casos de escolas que suspenderam as aulas até que os alunos se acalmassem.

Evitar o banheiro a todo custoPara os professores um trabalho a mais. Muitos não iam ao banheiro sem que a professora fosse junto. Outros formavam grupos para seguirem coletivamente. Não era raro alguns prenderem suas necessidades esperando voltar para casa. Isso, quando não acontecia o pior, ao não resistirem a todo esse tempo de abstinência. Nunca vou me es…

3 novos destinos do Benefício Boa Viagem para você descansar

Chegou a hora de programar sua viagem. Com o Benefício Boa Viagem, duas diárias em hotel ou pousada já estão garantidas para você e um acompanhante. Agora só falta você escolher o seu destino e arrumar as malas. A nossa dica é: Região Serrana do Rio de Janeiro. Conheça as opções e agende agora mesmo sua próxima diversão!

PenedoConhecida como destino romântico, a cidade é ideal para quem procura tirar uns dias de tranquilidade. Com arquitetura finlandesa, o local tem um polo gastronômico riquíssimo especializado na culinária europeia e ainda conta, nesta época natalina, com uma atração sensacional chamada de “A Casa do Papai-Noel”, situada no Complexo Comercial Pequena Finlândia, um ponto turístico que não pode deixar de ser visitado por quem escolhe este destino.

Cachoeiras de MacacuSe você é fã de água doce, este é o destino ideal para os seus tão sonhados dias de descanso. Este paraíso ecológico fluminense oferece diversas cachoeiras que formam duchas, tobogãs e piscinas naturais, tud…

Quem é o NATIVO DIGITAL que o PROFESSOR vai encontrar na escola?

.Os professores que atuam, hoje, conhecem bem as características dos alunos com quem vão topar nas escolas?
Para que você possa compreender e mergulhar nesse texto conosco, descubra antes a qual geração você pertence, analisando os dados abaixo:
Geração dos Baby Boomers (nascidos no período do pós-guerra, entre 1946 e 1960)Geração X (nascidos entre 1960 e 1980)Geração Y (nascidos entre 1980 e 1995)Geração Z (nascidos depois de 1995)
Agora que você já se localizou, vamos avançar compreendendo quais gerações fazem parte do grupo chamado “NATIVO DIGITAL”.
Da geração “Y” para frente é que a tecnologia digital foi se tornando presente por meio de videogames, Internet, telefone, celular, MP3, iPod. Portanto, é a partir dessa geração que a classificação “Nativo Digital” passou a existir.
Conheça o conceito de Nativo Digital (ND), formulado pelo próprio autor da expressão, Mark Prensky (2001), especialista em Tecnologia e Educação, pela Harvard School:
“Nativos digitais são aqueles que crescer…