Pular para o conteúdo principal

Primeira Infância: um conto da realidade brasileira



















Foram mais de sete horas refletindo e ouvindo as mais diversas opiniões e experiências acerca da Educação infantil e, sobretudo, da necessidade de universalização desse segmento em prol da qualidade, como garantia de uma base segura no desenvolvimento da primeira infância e nos resultados no rendimento escolar. Esse foi o cenário do seminário “Educação 360 Infância”, realizado em junho, com o apoio da TV Globo e do Canal Futura.

Na abertura do evento, a Chefe da Divisão de Educação do BID, em Washington, Emiliana Vegas atestou que os investimentos realizados na primeira infância devem ser o centro da estratégia de desenvolvimento de um país. Segundo Vegas, a parceria entre o ambiente familiar e atores do Governo federal, estadual e municipal é a base de um dos principais vieses para se chegar a bons resultados no desenvolvimento cognitivo e social na vida da criança de hoje e do adulto de amanhã.

Mas o que fazer quando nos deparamos com uma realidade brasileira em que apenas 10% das creches do país tem um padrão considerado bom e mais de 50% são tidas como de qualidade inadequada? “Podemos melhorar, selecionando bem os nossos profissionais; treinando melhor os mais novos; pagar melhor dependendo do desempenho que têm. E, por final, ter um sistema em que se precisar demita os professores ruins”, garantiu Vegas ao acrescentar que o olhar daquilo que está acontecendo em sala de aula é um fator determinante nessa busca qualitativa. “Não apenas avaliar o comportamento, mas também se a criança está confortável em seu aprendizado, medir como elas estão aprendendo para que se possa a partir dali alavancar subsídios para uma futura avaliação e acompanhamento de onde se pode melhorar”.

Já Daniel Santos, Professor Doutor da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP, questionou o ganho de quem faz a pré-escola versus aqueles que não a frequentam, ao falar que a educação infantil amplifica, em vez de diminuir, a lacuna da desigualdade social entre pobres e ricos. “Se os vulneráveis e os não vulneráveis se matriculassem na mesma creche, na mesma proporção o índice de desvio de padrão cairia em até 18%”. Essa responsabilidade, segundo Daniel, está também na qualidade das creches, no trabalho de formação e, sobretudo, na constante rotatividade que serve como barreira para o alicerçamento do vínculo necessário na Educação infantil.

“Crianças deveriam entrar nas creches a partir de 1 ano de vida”. Essa afirmativa feita pela Diretora Global de Educação Mundial e ex-secretária Municipal de Educação Claudia Costin trouxe à tona questionamentos não tão atuais sobre os desafios da Educação Infantil no Brasil. Para ela, precisa-se de uma política pedagógica clara, objetiva para as crianças da primeira infância.

Isto significa, segundo Costin, universalizar esse currículo e avaliar o desenvolvimento dos bebês numa visão integrada de saúde e educação, com detecção precoce de indicadores de autismo, por exemplo, feita até 2 anos de idade. “Um outro aspecto preponderante é capacitar os profissionais da Educação Infantil, uma vez que uma educação de qualidade custa caro”, disse a diretora lembrando que o professor tem que ser bem pago, não apenas por uma questão social, mas para atrair talentos.

Em sua fala o ex-secretário de educação do Ceará, Maurício de Holanda, afirmou que o desenvolvimento infantil, em especial das crianças de 0 a 3 anos, é uma grande oportunidade para rompermos o círculo da exclusão, empoderar famílias e agentes comunitários. Essa mesma visão foi compartilhada por Julia Ribeiro, da Unicef, que também acredita no fortalecimento dos municípios e gestores para mudar essa realidade atual da exclusão escolar no Brasil. “Atualmente são mais de 3 milhões de crianças e adolescentes fora da escola, com grande número de negros e indígenas, famílias de baixa renda e que vivem em zonas rurais. Qualidade é condição para a universalização do acesso”, garantiu Julia.

César Callegari, do Sesi-SP, também justificou seu discurso em prol de uma educação de qualidade destacando que não há educação de qualidade sem considerá-la prioridade em investimento. “Pois em um país em que 50% das crianças não estão alfabetizadas tem alguma coisa errada”, frisou Callegari em consonância com Larry Schweinhart, ao frisar que é possível produzir alunos melhores no início de suas vidas, com reflexo a longo prazo.

A sensação absorvida ao final do evento foi a de que, mesmo com 89% das crianças de 4 e 5 anos atendidas, segundo números mostrados pelos participantes, a meta de universalização da Pré-escola até 2016 ainda se mostra uma realidade distante para o país. Principalmente quando traduzimos em números essa porcentagem restante de 11%, ou seja, mais de 690 mil crianças não atendidas na pré-escola em diferentes situações regionais. Se a situação delas na faixa etária de 4 e 5 anos não é nada confortável, imagine a situação dos pequenos de 0 a 3 anos, em que apenas 30% conseguiram uma vaga em uma creche pública este ano.

A conclusão extraída dos números nos mostra que estamos cada vez mais longe de cumprir a meta do Plano Nacional de Educação (PNE) e quiçá conquistar a garantia da universalização desse segmento em prol da qualidade no desenvolvimento da primeira infância e nos resultados do rendimento escolar. Mas continuamos acreditando sempre, pois educação é um direito de todos!

Por: Antônia Lúcia Figueiredo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A fotografia e o poder da imagem no mundo moderno

Da pintura como única forma de reproduzir o que os olhos presenciavam até as modernas maneiras de registrar a realidade, a fotografia descreveu uma trajetória cercada de muitas discussões a respeito do lugar que essa atividade deveria desempenhar no cotidiano das pessoas e no engrandecimento da cultura. O inventor francês Louis Daguerre foi o primeiro a criar algo que sugerisse a substituição dos artistas como forma de reproduzir visualmente a realidade. Em 1839 é anunciado o daguerreótipo, o primeiro ancestral das máquinas fotográficas. Na verdade muitos pesquisadores autônomos já haviam trabalhado e obtido alguns êxitos em desenvolver maneiras de reproduzir a imagem.
O mérito de Daguerre foi desenvolver uma máquina que dava início ao que iria se transformar numa das características que mais colaborariam para a popularização do ato de retratar: a possibilidade de cada pessoa poder utilizar sua própria câmera e produzir suas imagens, em substituição à habilidade individual de artistas …

Prestigiar o professor é o grande barato desta bienal

Conheça o trabalho de professores como você, participando das nossas tardes de autógrafo. Serão mais de 30 autores de diversos gêneros, como o colunista do blog da Appai e revisor da Revista Appai Educar, Sandro Gomes.

As três edições do Altos Papos já estão com inscrições abertas na página da Educação Continuada no Portal do Associado. Leia atentamente as condições de horário e transporte antes de confirmar sua presença.
Aproveite a visita e “seja capa” da Revista Appai Educar. Marque suas fotos com #SouAppai e apareça em nosso Facebook.
E ainda divirta-se em nosso espaço interativo e conheça um pouco mais sobre a appai.
PROGRAMAÇÃO COMPLETA


Setembro em ritmo de novidade!

Agora você pode conhecer os ritmos mais badalados do momento através das Oficinas de Dança! E melhor, não precisa estar matriculado para participar! É muito fácil!
Quem já está inscrito num espaço de dança é só conferir as datas e horários disponíveis no seu espaço. Para quem ainda não conhece, é o momento de experimentar, sem compromisso, a novidade do Benefício Dança, os diversos ritmos oferecidos, como: West Coasting Swing - Dança Cigana - Zumba - Charme.

A duração de cada oficina é de a 1 hora. Confira a programação abaixo:
------------------------------------- Ritmo: West Coasting Swing
Classic Festas
Estrada do Mendanha, 1531 Próximo ao Clube dos Aliados Campo Grande 04/09/17 20h Clube dos Oficiais da Marinha
Av. Passos, 122/2º andarCentro 11/09/17 19h Dançando com Arte
R. Gov. Portela, 1084 – Centro, Nova Iguaçu/RJNova Iguaçu 15/09/17 17h30 AC. Bio Fitness
Av. Cesário de Melo, 4799 salas 201 a 204Campo

3 verbos para a educação do século XXI

É fato, as gerações atuais pensam e vivem de forma bem diferente das pertencentes às décadas anteriores. A conexão digital traz respostas imediatas às dúvidas, os conteúdos são apresentados de forma qualitativa e diversificada, e, por isso mesmo, a dinâmica da educação se transforma e se renova. Esse novo contexto traz consigo a demanda por novas ações, e são os grandes especialistas em educação que apontam os pilares/tendências próprios para o século XXI. Para tornar o tema mais aplicável, vamos apresentar essas tendências por meio de três verbos:
CURAR CONECTAR PERSONALIZAR
CURAR O verbo “curar” (cuidar, zelar) carrega consigo algumas preciosas ideias que muito se afinam com o educar. Embora tenha se originado no contexto das artes, o conceito apresenta uma forte e intensa aplicação ao contexto pedagógico. O curador em educação é um guia competente, alguém que tem toda a condição de cuidar, mas não apenas isso. O curador da educação tem um olhar atento e crítico para as necessidades dos…

Rádio e TV Appai ganham programação especial para a Bienal Livro Rio

A TV Appai vai transmitir ao vivo os encontros “Altos Papos” direto de nosso estande na Bienal. Durante os dias de evento reportagens especiais também vão ser apresentadas.  E ainda, quem for ao nosso estande vai poder acompanhar uma mostra de nossos principais programas através de um telão de LED instalado de forma estratégica. São atrações como “Professor Curioso”, “Talentos A+” e vídeos de corridas.
Por sua vez, a Rádio Appai está com uma programação de serviço para ajudar quem for visitar a maior feira literária do país. Trazemos diariamente dicas de transporte de como chegar e sair dos Pavilhões do Riocentro. Também estamos com um espaço para serviço em que informamos os horários dos eventos e toda a agenda.
Juntas a Rádio e a TV Appai contam em suas programações a história da Bienal. Ao mesmo tempo em que é a maior e mais famosa do mundo, a Feira de Livros de Frankfurt, na Alemanha, também é a mais antiga. Ela começou a ser promovida logo após a imprensa ter sido inventada, não à …