Pular para o conteúdo principal

Escola Inovadora na Prática – Saber com Sabor



Iniciamos o mês apresentando as 15 ideias que vão mudar a sua visão de escola, baseadas na série “Destino: Educação - Escolas Inovadoras/2016”, apresentada nesse mês de setembro pelo canal Futura. E, logo de cara, fomos questionados, de forma muito positiva e interessada: “Como colocar em prática essas ideias?”.  
Vamos saber como fazer, aprendendo com quem fez e faz... Coordenadores e tutores do Projeto Âncora, cujo grande mentor é o professor José Pacheco, coidealizador do projeto e mentor da Escola da Ponte (Portugal).

1.  Atitudes e valores
Quando o educando ingressa no Projeto Âncora, independentemente da idade, ele vai para o núcleo de aprendizagem chamado ”Iniciação”, onde já começa um trabalho pautado em atitudes e valores, que eles aprendem a conhecer e a partir dos quais interagem naquele espaço comum. Os valores destacados, tanto no âmbito coletivo como no individual, são: respeito, solidariedade, responsabilidade, afetividade e honestidade. Na fase da iniciação essas qualidades são trabalhadas em diferentes situações. Nesse processo fica claro para os estudantes o quanto o relacionamento é importante para o desenvolvimento de uma pessoa, e que saber se relacionar é tão essencial quanto produzir um texto claro, bem escrito.

“O tempo que elas permanecem na iniciação depende de cada uma delas, podendo ser uma semana, um mês, um ano... Os educadores estão preparados para recebê-las e dar a elas o atendimento necessário”.
Edilene Brito – Coordenadora Pedagógica do Projeto Âncora

Na prática, os problemas, impasses e conflitos que surgem (âmbito coletivo) são discutidos com todos os alunos, que não só expõem o problema/impasse/situação, como também sugerem soluções, dentro do que chamamos “resolução conjunta”, gerando responsabilidade coletiva e compromisso individual. E, assim, os valores vão sendo trabalhados e vivenciados. Os tutores reforçam para os educandos que escutar uma opinião diferente da sua, saber lidar com ela, agir afetivamente mesmo quando se é contrariado, são coisas tão importantes quanto aprender a fazer uma produção textual com clareza, coesão, pontuação.
A escola se organiza por núcleos de aprendizagem, que são iniciação, desenvolvimento e aprofundamento. O critério utilizado para a mudança de núcleo é o nível de autonomia conquistado no processo de aprendizagem, que naturalmente inclui os valores e atitudes.

2.  Como planejar os objetivos educativos?

“Quando a criança apresenta um desejo, uma necessidade, um sonho, que é de onde a gente (escola) parte, ali a gente começa, então, a fazer com ela uma investigação: Por que você quer acabar com o lixo do mundo? O que te incomoda? Como a gente pode acabar com o lixo? Começamos por onde? O que você já sabe sobre isso? Depois começamos a responder um questionamento que é: O que quero? Por que quero? Com quem vou fazer? De quanto tempo eu vou precisar? Quais os materiais, os recursos que eu vou ter que ter disponível pra realizar esse trabalho? E o que eu vou ter que aprender? E, a partir daí, do que eu tenho que aprender, a gente vai navegar pelas áreas do conhecimento...”
Edilene Brito – Coordenadora Pedagógica do Projeto Âncora

Com essa proposta educacional, em que o educando não é mero receptor, mas interage, é protagonista do processo, o interesse, os caminhos a trilhar para conhecer apresentam outro sabor. As áreas do conhecimento são exploradas num sentido diferente do comum, partem do interesse e necessidade do aluno. Aí sim, história, geografia, matemática e as demais áreas são exploradas com significado, não serão ilhas isoladas, desconectadas, mas acionadas para responder as demandas dos alunos, gerando um conhecimento significativo que ficará guardado para sempre na memória de longo prazo do educando.
Importante compreender que, quando os conteúdos das áreas do conhecimento são trabalhados isoladamente, sem significado aplicado à realidade do aluno, em geral são esquecidos, pois não fazem sentido. Significa que a memória de longo prazo não vai “ancorar” o que foi ensinado, isto é, logo aquele conteúdo desconectado, isolado, cai no esquecimento, se perde completamente, por falta de significado para o educando. Por isso é que é tão importante contextualizar, dar sentido, tornar significativo.
Na prática, dentro do Projeto Âncora, logo no começo do semestre os alunos elencam seus sonhos/desejos/necessidades. Um dos sonhos apresentados por um grupo foi o de aprender outra língua. E, a partir desse objetivo, as pesquisas se iniciaram, bem planejadas e com um tutor acompanhando o processo. Lembrando que quinzenalmente os alunos montam um roteiro de estudos contendo tudo que querem e precisam aprender, e com base nisso vão fazendo o planejamento diário. Dentro dessa programação são agendados os horários com os tutores por área, e esses vão assessorando, orientando o processo de aprendizagem dos educandos.

“Quinzenalmente a gente monta o roteiro com o que precisa aprender, de acordo com o nosso interesse e com o que a gente precisa também, não dá pra ficar estudando só línguas sem ter história e geografia... As pessoas perguntam: Mas como vocês aprendem outras matérias? O nosso jeito de estudar é pelo roteiro mesmo e pelo planejamento do dia.
                                                       
 Mariana Feitosa, educanda do Âncora

Edilene Brito, Coordenadora Pedagógica do Projeto Âncora, salienta que a escola realiza um trabalho pautado na lei, em que os alunos têm o registro cuidadoso dos objetivos atingidos dentro da sua escolarização, porém o que difere das escolas comuns é que, nesse projeto, são os estudantes que escolhem os objetivos a serem alcançados, levando em consideração os seus interesses/necessidade, o seu potencial e a sua história de vida, independentemente da ordem em que as metas aparecem nos PCNs.  

“Aqui, agora, a gente está tendo um momento com a especialista de português... Nesse momento, a gente está entendendo um pouco mais da nossa língua que é o português... A gente tem o nosso grupo de pesquisa... No nosso caso é o grupo de linguagem, e o nosso objetivo é falar outras línguas... Nos nossos três primeiros roteiros a gente está procurando entender um pouco mais a nossa língua...”
Mariana Feitosa, educanda do Âncora

Como colocar matemática dentro do roteiro que está pesquisando línguas estrangeiras, por exemplo? O tutor Marcel de Sena, especialista do Projeto Âncora nessa disciplina, responde:

“Estudando gramática! A gramática é a estrutura lógico-matemática que tem dentro da nossa língua e tem dentro de outras línguas também. Mas esse grupo precisava, também, trabalhar com a questão das porcentagens. Então, como estavam estudando as populações dos países, número de pessoas que falam tal língua, a gente começou a trabalhar a porcentagem usando essas informações”.

E assim o Projeto Âncora caminha, erradicando as famosas “aulas”, gerando “n” aprendizagens que fazem sentido, que são significativas para o educando.

Gostou? Quer mais? Acompanhe o texto da próxima terça, quando vamos falar de como a tecnologia está presente nesse projeto e como ocorre a avaliação da aprendizagem. Até lá, com saber e muito sabor!

Comentários

  1. O texto explica como ideias simples podem mudar o dia a dia da escola...Gostei muito!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por participar! Na próxima terça teremos mais...

      Excluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui.

Postagens mais visitadas deste blog

A fotografia e o poder da imagem no mundo moderno

Da pintura como única forma de reproduzir o que os olhos presenciavam até as modernas maneiras de registrar a realidade, a fotografia descreveu uma trajetória cercada de muitas discussões a respeito do lugar que essa atividade deveria desempenhar no cotidiano das pessoas e no engrandecimento da cultura. O inventor francês Louis Daguerre foi o primeiro a criar algo que sugerisse a substituição dos artistas como forma de reproduzir visualmente a realidade. Em 1839 é anunciado o daguerreótipo, o primeiro ancestral das máquinas fotográficas. Na verdade muitos pesquisadores autônomos já haviam trabalhado e obtido alguns êxitos em desenvolver maneiras de reproduzir a imagem.
O mérito de Daguerre foi desenvolver uma máquina que dava início ao que iria se transformar numa das características que mais colaborariam para a popularização do ato de retratar: a possibilidade de cada pessoa poder utilizar sua própria câmera e produzir suas imagens, em substituição à habilidade individual de artistas …

Prestigiar o professor é o grande barato desta bienal

Conheça o trabalho de professores como você, participando das nossas tardes de autógrafo. Serão mais de 30 autores de diversos gêneros, como o colunista do blog da Appai e revisor da Revista Appai Educar, Sandro Gomes.

As três edições do Altos Papos já estão com inscrições abertas na página da Educação Continuada no Portal do Associado. Leia atentamente as condições de horário e transporte antes de confirmar sua presença.
Aproveite a visita e “seja capa” da Revista Appai Educar. Marque suas fotos com #SouAppai e apareça em nosso Facebook.
E ainda divirta-se em nosso espaço interativo e conheça um pouco mais sobre a appai.
PROGRAMAÇÃO COMPLETA


Setembro em ritmo de novidade!

Agora você pode conhecer os ritmos mais badalados do momento através das Oficinas de Dança! E melhor, não precisa estar matriculado para participar! É muito fácil!
Quem já está inscrito num espaço de dança é só conferir as datas e horários disponíveis no seu espaço. Para quem ainda não conhece, é o momento de experimentar, sem compromisso, a novidade do Benefício Dança, os diversos ritmos oferecidos, como: West Coasting Swing - Dança Cigana - Zumba - Charme.

A duração de cada oficina é de a 1 hora. Confira a programação abaixo:
------------------------------------- Ritmo: West Coasting Swing
Classic Festas
Estrada do Mendanha, 1531 Próximo ao Clube dos Aliados Campo Grande 04/09/17 20h Clube dos Oficiais da Marinha
Av. Passos, 122/2º andarCentro 11/09/17 19h Dançando com Arte
R. Gov. Portela, 1084 – Centro, Nova Iguaçu/RJNova Iguaçu 15/09/17 17h30 AC. Bio Fitness
Av. Cesário de Melo, 4799 salas 201 a 204Campo

3 verbos para a educação do século XXI

É fato, as gerações atuais pensam e vivem de forma bem diferente das pertencentes às décadas anteriores. A conexão digital traz respostas imediatas às dúvidas, os conteúdos são apresentados de forma qualitativa e diversificada, e, por isso mesmo, a dinâmica da educação se transforma e se renova. Esse novo contexto traz consigo a demanda por novas ações, e são os grandes especialistas em educação que apontam os pilares/tendências próprios para o século XXI. Para tornar o tema mais aplicável, vamos apresentar essas tendências por meio de três verbos:
CURAR CONECTAR PERSONALIZAR
CURAR O verbo “curar” (cuidar, zelar) carrega consigo algumas preciosas ideias que muito se afinam com o educar. Embora tenha se originado no contexto das artes, o conceito apresenta uma forte e intensa aplicação ao contexto pedagógico. O curador em educação é um guia competente, alguém que tem toda a condição de cuidar, mas não apenas isso. O curador da educação tem um olhar atento e crítico para as necessidades dos…

Rádio e TV Appai ganham programação especial para a Bienal Livro Rio

A TV Appai vai transmitir ao vivo os encontros “Altos Papos” direto de nosso estande na Bienal. Durante os dias de evento reportagens especiais também vão ser apresentadas.  E ainda, quem for ao nosso estande vai poder acompanhar uma mostra de nossos principais programas através de um telão de LED instalado de forma estratégica. São atrações como “Professor Curioso”, “Talentos A+” e vídeos de corridas.
Por sua vez, a Rádio Appai está com uma programação de serviço para ajudar quem for visitar a maior feira literária do país. Trazemos diariamente dicas de transporte de como chegar e sair dos Pavilhões do Riocentro. Também estamos com um espaço para serviço em que informamos os horários dos eventos e toda a agenda.
Juntas a Rádio e a TV Appai contam em suas programações a história da Bienal. Ao mesmo tempo em que é a maior e mais famosa do mundo, a Feira de Livros de Frankfurt, na Alemanha, também é a mais antiga. Ela começou a ser promovida logo após a imprensa ter sido inventada, não à …