Pular para o conteúdo principal

Competências para a era digital


Participei do Congresso Internacional de Educação a Distância, há pouco mais de uma semana. Lá ouvi educadores e especialistas oriundos de várias partes do mundo, e todos, sem exceção, afirmaram que o formato e o modelo de escola em que a geração X e os Baby Bomers frequentaram, e que ainda persiste nos dias atuais, precisam ser extintos. Esse conceito de escola não cabe mais, perdeu o sentido. Essa versão está ultrapassada e não consegue mais preparar para a vida contemporânea.

Sabendo então dessa constatação que nos foi colocada, o nosso objetivo hoje é trazer, pra você que acompanha a nossa coluna, a relação de competências que precisam ser desenvolvidas para a ERA DIGITAL.
Antes de qualquer outra informação, é preciso compreendermos o que Tony Bates explicita com propriedade: “Na ERA DIGITAL, estamos rodeados, na verdade imersos, em tecnologia. Além disso, a taxa de mudança tecnológica não mostra nenhum sinal de abrandamento”. Sendo assim, somos todos confrontados (principalmente os professores) com o desafio de mudança.
Por que mudar?
A tecnologia trouxe e está impondo mudanças substanciais na economia, na maneira de nos relacionarmos, nos comunicarmos e naturalmente que, diante desse quadro, a forma de educar também precisa ser mudada. Para isso é preciso, além do entendimento macro de valores, desenvolver concepções para esse momento, compreendendo também quais são as competências necessárias para vivermos na ERA DIGITAL.
Tony Bates, em sua obra desafiadora, escrita nesse ano de 2016, aponta as seguintes:
  1. Habilidade de comunicação: é preciso desenvolver habilidades de comunicação em mídias sociais, compartilhar informações, saber dar e receber feedbacks. As tradicionais habilidades de ler, falar e escrever de forma coerente permanecem, mas é preciso pensar a comunicação escrita para diferentes contextos e audiências, se utilizando de diferentes estratégias.
  2. Capacidade de aprender de forma independente: o enfoque aqui é para o que é necessário saber e onde encontrar, sendo você o responsável por esse planejamento. Esse é um trabalho contínuo na era digital, pois o conhecimento está em constante transformação.
  3. Ética e responsabilidade: elementos indispensáveis para construir confiança, tão necessários, principalmente, em redes sociais informais. Em um mundo em que valores são tão diversificados, um maior grau de confiança é um ponto positivo para outros com quem você poderá se tornar um parceiro.
  4. Trabalho em equipe e flexibilidade: hoje, ninguém trabalha sem colaboração e partilha de conhecimento. Sabe por quê? Porque vivemos numa era tão complexa que, para respondermos com eficiência aos desafios postos, há uma solução: combinar conhecimento coletivo, resolução de problemas e implementação com um bom trabalho em equipe, com flexibilidade na resolução dos desafios, para termos sucesso.
  5. Habilidades de pensamento: significa ter pensamento crítico, criatividade, originalidade e elaboração de estratégias para resolver problemas. É preciso saber operar, criar soluções para além dos manuais padronizados. Essa era é daqueles que “pensam fora da caixa”.
  6. Competências digitais: a maioria das atividades, hoje, na era do conhecimento, demanda o uso de tecnologia. Porém, não basta saber o geral, é preciso que você use essa habilidade com os meios tecnológicos para acessar conhecimentos que sejam úteis e aplicáveis à sua área. Por exemplo, um soldador que sabe usar o computador para controlar robôs que podem auxiliá-lo em seu ofício. Outro exemplo, um professor que sabe usar um software para preparar sua aula ou empregar objetos de aprendizagem (recursos educativos) para implementar na sua classe.
  7. Gestão do conhecimento: certo de que o conhecimento se torna rapidamente obsoleto, é preciso saber encontrar, avaliar, analisar, aplicar e divulgar informações em um contexto particular. Bates explica que “a resolução de problemas na medicina é diferente da resolução de problemas nos negócios”.
Depois de ler cada uma dessas habilidades, como está você? Pronto para viver na era digital? Até a próxima semana.

Comentários

  1. Tenho muito que aprender!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aprender sempre é a nossa missão.Obrigada por participar. Muito grata.

      Excluir
    2. Aprender sempre é a nossa missão.Obrigada por participar. Muito grata.

      Excluir
  2. Eu gostei muito, conteúdo claro que me fez pensar sobre...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom! Esse é o nosso principal objetivo, levar um conteúdo claro e reflexivo. Terça que vem tem mais, espero por você.

      Excluir
  3. A tecnologia mudará tudo e todos, aceitar isto e adaptar o atual sistema de educação é uma questão de sobrevivência

    ResponderExcluir
  4. Fato! Grande Ton, muito grata por sua participação. Abs

    ResponderExcluir
  5. Excelente Andrea!! O difícil é incorporar e aprender a lidar com o avanço tecnológico e o mundo digital. Fundamental hoje em dia... penso que o mais difícil é ter senso crítico para eleger o que tem e o que não tem qualidade de conteúdo. Mas o mundo digital é uma importante ferramenta em qualquer área de atuação. Seu texto trouxe bons exemplos e monstra que devemos estar ligados com toda a tecnologia sem perder a excencia do conhecimento e os princípios. ... Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raquel Bampi, eu agradeço muito a sua apreciação, pois muito lhe admiro. As suas observações são muito atuais e pertinentes. Como bem colocou, o avanço tecnológico é mesmo uma questão global que envolve todas as áreas do conhecimento e é um grande desafio para todos nós. Vamos experimentando e dando retorno, creio que esse seja um caminho...Beijos

      Excluir
  6. Andréa o que me chamou a atenção foi o item 4, onde fala da necessidade de equipe. Num período onde muito se propagou a individualidade e que a tecnologia distanciava as pessoas. Ai mostra ainda que precisamos de várias ideias para se desenvolver outras ideias, kkk. Você sempre me fazendo pensar e ler... outro fato da Era Digital, que dizia que seriamos uma era que não lê, talvez temos sido o período que mais se lê, e se busca conhecimentos. E a habilidade de saber se comunicar nas Mídias Sociais.. uau... super 10!! Parabéns e sucesso sempre.. bjs

    ResponderExcluir

  7. Fer, muito me honra escrever para ver mentes abertas como você, participando.Te admiro muito.Você vive muito bem na Era Digital😘.

    ResponderExcluir

  8. Fer, muito me honra escrever para ver mentes abertas como você, participando.Te admiro muito.Você vive muito bem na Era Digital😘.

    ResponderExcluir
  9. Seu texto bem resumido sobre as competências para a era digital é uma importante e oportuna contribuição para todos que desejam realmente desenvolver habilidades para não ficarem de fora dessa nova fase da vida que veio para ficar e não tem volta. Sua didática sobre a apresentação de Tony Bates e as razões que levam as inovações tecnológicas digitais provocarem mudanças na economia e no efeito cascata que vem na sequência é perfeita . Habilidade de comunicação, autonomia e competência para pesquisa,ética,responsabilidade,trabalho em equipe,pensamento crítico, competência técnica digital e boa gestão do conhecimento. Tudo isso agora será muito útil para uma transição lenta e gradual mas muito segura nessa estrada. Valeu Andréa...grande contribuição. Comendador Costa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Comendador,seus apontamentos são muito pertinentes, não há como fugir da Era Digital, quem tentar praticamente se isolará da vida contemporânea.Me sinto honrada por ter um líder tão inovador, com visão ampla, mas com a serenidade própria dos sábios.Tens toda a minha consideração e respeito.

      Excluir
  10. Muito interessante. Mas creio, que para que isso se concretize de forma uniforme na educação brasileira, precisamos superar e melhorar muito a educação básica. Se Nossa Constituição assegura a igualdade e o acesso de educação a todos, pq ainda temos uma grande porcentagem da população analfabeta, ou pior, porque temos uma geração de intelectuais analfabetos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada por participar.Você tem razão, ainda falta muito para termos uma educação básica e pública de qualidade.Um dos quesitos envolve a formação de professores.A Appai vem trabalhando para democratizar o acesso à Educação Continusda de Professores para todo o Rio de Janeiro, esperamos que iniciativas como a da Appai alcance outros estados brasileiros😉

      Excluir
    2. Muito obrigada por participar.Você tem razão, ainda falta muito para termos uma educação básica e pública de qualidade.Um dos quesitos envolve a formação de professores.A Appai vem trabalhando para democratizar o acesso à Educação Continusda de Professores para todo o Rio de Janeiro, esperamos que iniciativas como a da Appai alcance outros estados brasileiros😉

      Excluir
  11. Parabéns pela forma sintética, didática e atrativa com que você traz para o debate as competências necessárias para viver na era digital. Suas reflexões me remetem a discussões que fizemos na entrada do novo milênio com o belíssimo texto de Ruth Rocha - Quando a escola é de Vidro – e que são muito pertinentes neste momento histórico, o desafio era quebrar os vidros... se conservamos os vidros, não conseguimos ser criativos, originais nem tampouco “pensar fora das caixas”... Continuamos sendo confrontados, os nossos alunos esperam de nós aulas dinâmicas, ativas e conteúdos interligados. Para isso precisamos desenvolver as competências tão bem descritas no seu texto! Excelente Contribuição, Andréa! Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga, Leila Torres, quanta sabedoria e maturidade.Agradeço imensamente a preciosa contribuição, amo Ruth Rocha também��.Abraço grande!

      Excluir
  12. Que legal ! Parabéns pelo artigo. Conheço um colégio presbieteriano em que , desde o ensino fundamental os aluninhos fazem tarefas em tablets , recebem os trabalhos online e até recebem aulas complementares via rede social.
    É a era digital.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcos Kopeska, muito obrigada por trazer uma contribuição aplicada.Participe sempre, bom tê-lo representado neste espaço virtual. Abraços.

      Excluir
  13. Que legal ! Parabéns pelo artigo. Conheço um colégio presbieteriano em que , desde o ensino fundamental os aluninhos fazem tarefas em tablets , recebem os trabalhos online e até recebem aulas complementares via rede social.
    É a era digital.

    ResponderExcluir
  14. Cara Andréa:
    Gracias por tu interesante aporte. Estoy totalmente de acuerdo con el planteamiento, pero observo en la escuela de hoy muchas barreras y resistencias que, de momento, es complicado superar, si bien no imposible:
    1) Barrera política: las leyes educativas las hacen los políticos y parece, sólo parece, que éstos no están interesados en que haya verdadero progreso ciudadano, de paso ellos se perpetúan en el poder.
    2) Resistencias escolares: los profesores cambian muy lentamente, cuando a veces parece que no quieren si quiera cambiar.
    3) Hace falta un auténtico cambio curricular. No es sólo cuestión de método, igualmente los contenidos que son aprendidos tienen que cambiar drásticamente.
    Hay que solucionar, como mínimo, estos problemas que aquejan a la educación de hoy. Caso contrario la transformación de la educación será lenta, inviable, o viable sólo para algunos en el mundo, creando más diferencias si cabe aún.
    Cordial saludo desde España.
    Dr. José M. Bautista Vallejo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro, Dr. José M. Bautista Vallejo, é uma honra receber seus comentários sobre o texto. Concordo plenamente contigo, com cada apontamento feito, tens toda razão.
      Temos muitas barreiras e resistências sim, das macros até as menores...
      Aqui no Brasil, estamos trabalhando na esfera que nos compete (Formação de Professores) para contribuir com a mudança e transformação tão sonhada. A esperança nos move...
      Gracias e um abrazo grande!

      Excluir
  15. Estou feliz por viver na era digital! Com muitos desafios a vencer. Muitos conhecimentos para aprender e muitas práticas para experimentar.E para tanto, abertura necessária para se credenciar a essa nova era. Essas habilidades nos leva a uma evolução integral da espécie cada vez solicitada a ser mais humana, incluindo o sutil , com tecnologias do virtual a serviço dos valores e princípios de ajuda mútua,solidariedade, compartilhamento e crescimento coletivo e cooperativo. Habilidades que nos levará a aprender a ser e a conviver, além de conhecer e fazer. Os 4 pilares da educação do futuro e já se tornou presente. Seu texto, Andrea, traz um "chek list" inspirador para o investimento lúcido em habilidades transformadoras para as relações humanas de maneira geral.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui.

Postagens mais visitadas deste blog

Pedro II abre concurso federal para professor

Segue até o próximo dia 17 as inscrições para o concurso para preenchimento de vagas para novos professores no tradicional Colégio Pedro II. São 14 cargos efetivos nos ensinos Básico, Técnico e Tecnológico. Além disso os organizadores aproveitam para criar um banco de reservas para cada disciplina oferecida.
As inscrições são somente virtuais pelo site www.cp2.g12.br. Após preencher a ficha é necessário imprimir a GRU - Guia de Recolhimento da União - e efetuar o pagamento da taxa no valor de R$ 160,00. O concurso terá validade de 1 ano e poderá ser prorrogado por igual período.
Pertencente ao Governo Federal, o Pedro II é o terceiro colégio mais antigo do país ainda em atividade, depois do Ginásio Pernambucano e do Atheneu Norte-Riograndense. O Pedro II tem 13 mil alunos que estudam em 14 campi, sendo 12 no município do Rio de Janeiro, um em Niterói e um em Duque de Caxias, além de uma unidade de educação infantil.
Salário pode dobrar com titulação profissional O salário básico é de R$ 4…

Passo a passo para utilizar o Benefício Boa Viagem

Olá, associado! Ainda tem dúvidas em relação ao Benefício Boa Viagem? No post de hoje vamos esclarecer essas questões e ainda mostrar o passo a passo de como utilizar este benefício.
1 – Leia o Regulamento O primeiro passo é ler o regulamento e ficar atento às regras, cláusulas e condições do benefício. O regulamento está disponível em: http://www.appai.org.br/beneficio-boa-viagem.aspx
Site da Appai → Benefício Boa Viagem → Regulamento

2 – Pousadas Conveniadas O associado e beneficiário, regulares na Appai, deverão verificar os hotéis e pousadas no Guia do Associado ou em nosso site e fazer a sua escolha. São diversas opções de roteiros, que vão desde a calmaria da região serrana até as mais belas praias do Estado do Rio de Janeiro.
Site da Appai → Benefício Boa Viagem → Destinos e Pousadas

3 – Reservas Depois de escolher o destino e a pousada de sua preferência, o associado e/ou beneficiário deverão entrar em contato diretamente com o estabelecimento conveniado para fazer a reserva de estad…

A fotografia e o poder da imagem no mundo moderno

Da pintura como única forma de reproduzir o que os olhos presenciavam até as modernas maneiras de registrar a realidade, a fotografia descreveu uma trajetória cercada de muitas discussões a respeito do lugar que essa atividade deveria desempenhar no cotidiano das pessoas e no engrandecimento da cultura. O inventor francês Louis Daguerre foi o primeiro a criar algo que sugerisse a substituição dos artistas como forma de reproduzir visualmente a realidade. Em 1839 é anunciado o daguerreótipo, o primeiro ancestral das máquinas fotográficas. Na verdade muitos pesquisadores autônomos já haviam trabalhado e obtido alguns êxitos em desenvolver maneiras de reproduzir a imagem.
O mérito de Daguerre foi desenvolver uma máquina que dava início ao que iria se transformar numa das características que mais colaborariam para a popularização do ato de retratar: a possibilidade de cada pessoa poder utilizar sua própria câmera e produzir suas imagens, em substituição à habilidade individual de artistas …

Prestigiar o professor é o grande barato desta bienal

Conheça o trabalho de professores como você, participando das nossas tardes de autógrafo. Serão mais de 30 autores de diversos gêneros, como o colunista do blog da Appai e revisor da Revista Appai Educar, Sandro Gomes.

As três edições do Altos Papos já estão com inscrições abertas na página da Educação Continuada no Portal do Associado. Leia atentamente as condições de horário e transporte antes de confirmar sua presença.
Aproveite a visita e “seja capa” da Revista Appai Educar. Marque suas fotos com #SouAppai e apareça em nosso Facebook.
E ainda divirta-se em nosso espaço interativo e conheça um pouco mais sobre a appai.
PROGRAMAÇÃO COMPLETA


A construção da imagem de Tiradentes

Uma abordagem básica possivelmente revelará que Tiradentes é o herói preferido dos brasileiros, ficando à frente de nomes de grande apelo popular, como o líder Zumbi dos Palmares ou o arrojado D. Pedro I. Apesar de a história popularmente divulgada do Mártir da Inconfidência estar repleta de elementos de valor universal, como os ideais de liberdade e justiça, o fato é que a boa imagem do inconfidente é fruto da tentativa de acomodar esse momento da história aos objetivos de quem esteve nas proximidades do poder.
Foi na República que a imagem de Tiradentes começa a ser trabalhada de forma consciente e intencional. O movimento militar, de base positivista, que derrubou a Monarquia tinha em mente o objetivo bem explícito de atuar no imaginário da população, reduzindo a influência que o sistema colonial imprimira ao longo de mais de três séculos. Tiradentes era alferes, lutava pela instalação de um regime republicano e único condenado à morte na conspiração. Elementos, portanto, bastante i…