Pular para o conteúdo principal

Zumbi e a luta que ainda continua

"Zumbi" (1927), de Antonio Parreiras

Zumbi é considerado a maior expressão da identidade afro-brasileira, tido por muitos como um grande herói nacional, em nada ficando atrás de figuras quase unânimes, como Tiradentes, ou de trajetória, digamos, discutível, como Duque de Caxias. É preciso considerar no entanto que a memória do grande líder negro foi menos historiada que construída, o que daria margem a muitas hipóteses e interpretações, daí o componente muitas vezes lendário ou mítico em torno de sua figura. Isso porque a documentação historiográfica referente a ele, além de esparsa, traz a peculiaridade de ter sido quase toda composta pelo olhar de seus inimigos, isto é, daqueles que se aplicaram na proeza de enfim debelar o resistente quilombo de Palmares.

Uma das questões mais nebulosas envolvem a sua origem, havendo discordância entre os historiadores se teria nascido no quilombo ou só depois teria lá chegado, o que seria determinante para saber se Zumbi nasceu livre ou escravo. Uma das versões da trajetória do líder de Palmares que se tornaram mais populares dá conta de que ele teria sido capturado numa das muitas investidas que bandeirantes costumavam aplicar em quilombos para raptar negros e tornar a vendê-los, atividade que se tornaria muito comum no nordeste brasileiro no século XVII. Teria então ido parar sob cuidados de um padre jesuíta, que o teria alfabetizado, ensinado o catecismo católico e iniciado nos ofícios religiosos, o que teria permitido que Zumbi fosse detentor de cultura incomum até para brancos naquela época.

Essas informações que envolvem a sua origem e formação partiram da obra do pesquisador gaúcho Décio Lopes, que afirmou ter encontrado documentos com esses conteúdos enquanto realizava pesquisas sobre outros assuntos em Portugal. Mas a obra do historiador é marcada por muita desconfiança por parte da comunidade de estudiosos desse período, de modo que, apesar de se popularizar e servir de base até para a composição de obras artísticas e literárias sobre a vida de Zumbi, não passa do conjunto de hipóteses e deduções que marcam esse momento da vida brasileira.

Os estudos sobre o quilombo é que têm levado a muitas deduções a respeito do papel de Zumbi em toda a saga de Palmares. Se de fato ele foi formado por escravos fugidos de fazendas, é muito provável que tenha sido habitado primordialmente por homens, pois as propriedades em geral continham um número muito pequeno de mulheres. Outra informação é que devia haver o amplo predomínio de africanos provenientes de cultura Angola ou bantu, com seus grupos linguísticos variados e os muitos conhecimentos agrícolas, pecuários e até de metalurgia já trazidos do continente de origem. É muito provável também que em Palmares a pouca presença feminina levasse a uma organização social poliândrica, isto é, na qual as mulheres tivessem vários maridos, o que não era incomum em certas regiões da África. Aliás, quanto a essa questão, deve-se levar em conta a presença na população de Palmares de muitos indígenas, como se deduz dos muitos objetos de cerâmica encontrados em escavações arqueológicas posteriormente realizadas na região da serra da Barriga, atividade que em geral ficava a cargo das mulheres. Isso dá margem à possibilidade até de que Zumbi tivesse sangue indígena, como já chegaram a cogitar alguns historiadores.

Uma circunstância histórica permitiu o crescimento demográfico de Palmares. A chegada dos holandeses a Pernambuco em 1630 mobilizou a atenção dos proprietários de terra, que passaram a concentrar esforços em expulsar os indesejados invasores, que vinham resolvidos a lutar pela exploração do rentável negócio da produção açucareira. Só quando se livraram definitivamente das tropas batavas, quase 25 anos depois, é que o controle do quilombo voltou a virar prioridade. Agora, porém, havia crescido muito, aumentado suas atividades exploratórias – o que significa dizer que, de alguma forma, também eram concorrentes dos grandes proprietários – e demandaria muito mais trabalho e energia para ser desalojado. Muitos escravos que haviam sido recrutados por seus senhores para lutar contra os holandeses se fortaleceram com a mudança de status e se aventuraram a viver em Palmares, reforçando o quilombo inclusive do ponto de vista bélico.

A boa notícia para a memória de Zumbi é que os feitos que lhe conferiram a condição de grande herói do povo negro (e até, por que não, de toda a população brasileira, já que o quilombo também registrava diversidade racial) desfrutam de importantes evidências históricas. Trata-se de sua atuação como líder de Palmares depois do acordo assinado por Ganga Zumba com as autoridades de Pernambuco em torno de 1678. O então grande comandante da resistência contra os proprietários de terra concordara com a proposta de desarticular o quilombo em troca da garantia de liberdade para todos os que tivessem nascido em Palmares, que então ganhariam terras, poderiam comercializar livremente e ainda se tornariam súditos da coroa. O problema era com aqueles que haviam fugido para a serra da Barriga em busca de sua liberdade, que teriam que ser restituídos a seus senhores, situação que talvez fosse até a do próprio Zumbi, já que não se tem certeza se sua condição original era a de livre ou de escravo. De qualquer modo, sua opção foi por combater toda forma de opressão patrocinada pelas classes dominantes de então.

Ganga Zumba e os que se beneficiariam do acordo já haviam deixado o quilombo e se instalado nas terras que lhes foram cedidas. Zumbi, que era uma espécie de imediato (algumas narrativas falam de um parentesco entre os dois), resolve então assumir a liderança e, ao lado dos que voltariam à condição de cativos, organiza uma nova resistência. A luta duraria ainda mais de dez anos até que as tropas lideradas por Domingo Jorge Velho, formada por quase dez mil homens segundo alguns documentos, conseguisse debelar definitivamente o quilombo. A captura de Zumbi ocorreria da mesma maneira que a de muitos outros grandes heróis, através de traição. O destino do corpo do líder negro de posse dos vencedores também não fugiria à regra: foi esquartejado e exposto, ato que pretendia apontar não só para a morte física como para o esquecimento histórico, o que obviamente não aconteceria.

A trajetória de Zumbi antecipa, dessa forma, muitos pontos das lutas populares contra os desmandos do sistema de exploração mercantilista que marcou os séculos da colonização brasileira. Da questão racial à da posse da terra, passando pelo direito à liberdade e a busca da igualdade, a posição obstinada do líder de Palmares passaria a ser uma referência, não apenas para as motivações dos afrodescendentes do Brasil na busca por desfazer o abismo causado pelos mais de três séculos de escravidão, como para todos os que se mobilizem em favor de uma sociedade mais justa e com oportunidades iguais para todos, ideal já alcançado no campo dos direitos sociais, mas ainda não definitivamente concretizado no dia a dia dos brasileiros.

Se você gostou desse texto, deixe seu comentário, compartilhe com seus amigos e curta a página: facebook.com/arteseletras2016

Comentários

  1. Muito interessante este texto, vale a pena salvar e arquivar. Trabalhar este texto dará asas a imaginação para novos caminhos.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui.

Postagens mais visitadas deste blog

Pedro II abre concurso federal para professor

Segue até o próximo dia 17 as inscrições para o concurso para preenchimento de vagas para novos professores no tradicional Colégio Pedro II. São 14 cargos efetivos nos ensinos Básico, Técnico e Tecnológico. Além disso os organizadores aproveitam para criar um banco de reservas para cada disciplina oferecida.
As inscrições são somente virtuais pelo site www.cp2.g12.br. Após preencher a ficha é necessário imprimir a GRU - Guia de Recolhimento da União - e efetuar o pagamento da taxa no valor de R$ 160,00. O concurso terá validade de 1 ano e poderá ser prorrogado por igual período.
Pertencente ao Governo Federal, o Pedro II é o terceiro colégio mais antigo do país ainda em atividade, depois do Ginásio Pernambucano e do Atheneu Norte-Riograndense. O Pedro II tem 13 mil alunos que estudam em 14 campi, sendo 12 no município do Rio de Janeiro, um em Niterói e um em Duque de Caxias, além de uma unidade de educação infantil.
Salário pode dobrar com titulação profissional O salário básico é de R$ 4…

Passo a passo para utilizar o Benefício Boa Viagem

Olá, associado! Ainda tem dúvidas em relação ao Benefício Boa Viagem? No post de hoje vamos esclarecer essas questões e ainda mostrar o passo a passo de como utilizar este benefício.
1 – Leia o Regulamento O primeiro passo é ler o regulamento e ficar atento às regras, cláusulas e condições do benefício. O regulamento está disponível em: http://www.appai.org.br/beneficio-boa-viagem.aspx
Site da Appai → Benefício Boa Viagem → Regulamento

2 – Pousadas Conveniadas O associado e beneficiário, regulares na Appai, deverão verificar os hotéis e pousadas no Guia do Associado ou em nosso site e fazer a sua escolha. São diversas opções de roteiros, que vão desde a calmaria da região serrana até as mais belas praias do Estado do Rio de Janeiro.
Site da Appai → Benefício Boa Viagem → Destinos e Pousadas

3 – Reservas Depois de escolher o destino e a pousada de sua preferência, o associado e/ou beneficiário deverão entrar em contato diretamente com o estabelecimento conveniado para fazer a reserva de estad…

A verdade sobre a "Loura do Banheiro"

Sem dúvida nenhuma: é a lenda urbana mais forte no Brasil, que de tempos em tempos ressurge como uma fênix, com uma nova roupagem, mas a essência continua a mesma. A “Mulher Loura”, como é conhecida no Rio, uma redundância em gênero que deixa os professores de português de cabelo em pé. Porém, na verdade ela assusta mesmo é gerações de estudantes. Certamente muitos professores que hoje tentam, em vão, acalmar seus alunos e desmistificar já foram aterrorizados por ela, um dia, quando frequentavam as carteiras escolares. A histeria coletiva chegou ao ponto de casos de escolas que suspenderam as aulas até que os alunos se acalmassem.

Evitar o banheiro a todo custo Para os professores um trabalho a mais. Muitos não iam ao banheiro sem que a professora fosse junto. Outros formavam grupos para seguirem coletivamente. Não era raro alguns prenderem suas necessidades esperando voltar para casa. Isso, quando não acontecia o pior, ao não resistirem a todo esse tempo de abstinência. Nunca vou me es…

3 novos destinos do Benefício Boa Viagem para você descansar

Chegou a hora de programar sua viagem. Com o Benefício Boa Viagem, duas diárias em hotel ou pousada já estão garantidas para você e um acompanhante. Agora só falta você escolher o seu destino e arrumar as malas. A nossa dica é: Região Serrana do Rio de Janeiro. Conheça as opções e agende agora mesmo sua próxima diversão!

Penedo Conhecida como destino romântico, a cidade é ideal para quem procura tirar uns dias de tranquilidade. Com arquitetura finlandesa, o local tem um polo gastronômico riquíssimo especializado na culinária europeia e ainda conta, nesta época natalina, com uma atração sensacional chamada de “A Casa do Papai-Noel”, situada no Complexo Comercial Pequena Finlândia, um ponto turístico que não pode deixar de ser visitado por quem escolhe este destino.

Cachoeiras de Macacu Se você é fã de água doce, este é o destino ideal para os seus tão sonhados dias de descanso. Este paraíso ecológico fluminense oferece diversas cachoeiras que formam duchas, tobogãs e piscinas naturais, tud…

A construção da imagem de Tiradentes

Uma abordagem básica possivelmente revelará que Tiradentes é o herói preferido dos brasileiros, ficando à frente de nomes de grande apelo popular, como o líder Zumbi dos Palmares ou o arrojado D. Pedro I. Apesar de a história popularmente divulgada do Mártir da Inconfidência estar repleta de elementos de valor universal, como os ideais de liberdade e justiça, o fato é que a boa imagem do inconfidente é fruto da tentativa de acomodar esse momento da história aos objetivos de quem esteve nas proximidades do poder.
Foi na República que a imagem de Tiradentes começa a ser trabalhada de forma consciente e intencional. O movimento militar, de base positivista, que derrubou a Monarquia tinha em mente o objetivo bem explícito de atuar no imaginário da população, reduzindo a influência que o sistema colonial imprimira ao longo de mais de três séculos. Tiradentes era alferes, lutava pela instalação de um regime republicano e único condenado à morte na conspiração. Elementos, portanto, bastante i…