Páginas

quinta-feira, 31 de março de 2016

Encontro Saúde 10: a caminho da qualidade de vida


Saúde e qualidade de vida são dois temas estreitamente relacionados, fato que podemos reconhecer no nosso cotidiano, com o qual pesquisadores e cientistas concordam inteiramente. Isto é, a saúde contribui para melhorar a qualidade de vida e esta é fundamental para que um indivíduo tenha saúde. Em síntese, promover a saúde é promover a qualidade de vida.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) define a saúde como: “Um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não somente ausência de afecções e enfermidades”. Dentro deste pensamento, como base para as discussões, o primeiro Encontro Saúde 10 propôs a seguinte pergunta: “Como anda a sua saúde?”.


Antes de iniciar o debate, uma dinâmica proporcionou um momento de reflexão acerca da qualidade de vida de cada indivíduo presente. Através de um questionário, realizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), os participantes puderam responder perguntas relacionadas ao seu cotidiano. Para cada questão havia um valor simbólico, que ao final foi somado para que se chegasse a um quadro surpreendente. Cerca de 93% dos resultados avaliaram que os associados presentes estão em um grau médio de qualidade de vida, ou seja, apesar dos percalços diários, ainda é possível estar equilibrado com saúde, fato que se dá nas participações dos benefícios Dança de Salão e Caminhadas e Corridas como contribuinte à promoção da saúde. E a proposta da equipe do Programa Saúde 10 é exatamente elevar esse nível.



Para isso, abriu-se uma nova discussão: a diferença entre a atividade física e o exercício físico. De acordo com a fisioterapeuta da Appai, Luciana dos Santos, a atividade física é entendida como todo movimento produzido pelos músculos com gasto energético acima dos níveis de repouso. Ou seja, tudo o que realizamos no dia a dia, como lavar o carro, passear com o cachorro, varrer a calçada, brincar etc. Já os exercícios físicos são considerados como uma sequência sistematizada de movimentos de diferentes segmentos corporais, executados de forma planejada e com um determinado objetivo a ser atingido. Por exemplo: um passeio ao ar livre é considerado uma atividade física, enquanto uma caminhada orientada é um exercício físico, já que possui um determinado planejamento, como a intensidade, a duração e o objetivo, que pode ser a queima de gordura. Ambos trazem diversos benefícios para a saúde, como controle do peso corporal, perda de gordura, diminuição da pressão arterial, redução do estresse, além de prevenir doenças como as cardiovasculares e o diabetes, desde que sejam realizados regularmente.

🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫
A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda para cada nível de faixa etária uma quantidade diária ou semanal em minutos de atividades aeróbicas, onde é possível trabalhar por uma qualidade melhor de vida. São elas:

~ Para crianças e adolescentes entre 5 e 17 anos:
Pelo menos 60 minutos diários de atividades aeróbicas.

~ Para adultos de 18 a 64 anos:
Entre 75 e 150 minutos semanais de atividade aeróbica moderada a vigorosa e trabalhos de fortalecimento muscular 2 vezes na semana.
🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫🎫

Para a associada da Appai Rita Princisval, esse encontro foi esclarecedor. “A gente confunde muito atividade com exercício, e aqui foi possível diferenciá-los, além de compreender os seus benefícios. Gosto muito da equipe do Programa porque os profissionais são dinâmicos e trazem sempre temas abrangentes que todos conseguem se identificar”, aponta Rita.


Neste primeiro Encontro do Saúde 10 houve a participação de profissionais na área de psicologia (Ieda Herculano), fisioterapia (Luciana dos Santos) e nutrição (Raquel Azevedo).


quarta-feira, 30 de março de 2016

Universidade do Professor oferecerá 105 mil vagas para que docentes completem formação


























Professoressa novidade é para você! Entre 5 de abril e 5 de maio, serão oferecidas 105 mil vagas para formação de professores efetivos da rede pública que não atuam em sua área de formação. A iniciativa faz parte da Rede Universidade do Professor, anunciada na última segunda-feira (28) pelo ministro da Educação Aloizio Mercadante. As vagas, nas instituições federais de educação, são para o segundo semestre de 2016, sendo 24 mil presenciais em universidades e institutos federais e 81 mil na modalidade educação a distância, por meio da Universidade Aberta do Brasil.

A proposta é reduzir o número de educadores que lecionam disciplinas para as quais não têm a formação adequada. Além das vagas na rede federal, os professores também poderão optar pelo Plano Nacional de Formação de Professores (Parfor) que oferece, durante as férias escolares, cursos presenciais intensivos para docentes da rede pública de educação básica. No Parfor, os professores só poderão se inscrever para o curso correspondente à disciplina que lecionam na rede pública. Essas vagas serão oferecidas no primeiro semestre de 2017.

Os professores interessados em complementar sua formação poderão se inscrever nos cursos por meio da Plataforma Freire, entre 5 de abril e 5 de maio. Depois de inscritos, as secretarias estaduais e municipais de educação terão de 6 de maio a 6 de junho para validar as inscrições dos docentes. O resultado será divulgado até 30 de junho, e os cursos terão início já no segundo semestre deste ano.

Para conferir a matéria completa, acesse aqui.

quinta-feira, 17 de março de 2016

Rio 2016 e a tentativa de surpreender com a inclusão social

Em meio a tantas críticas, a organização da Cerimônia Carioca 2016 espera surpreender de uma forma diferente. Diante dos cortes de verba, ela sonha em ser reconhecida por seu esforço em prol da inclusão social. Diversas iniciativas inéditas estão sendo feitas com intuito de permitir que deficientes visuais e auditivos consigam partilhar da mesma emoção que os demais espectadores.


Experiência sensorial surpreenderá na abertura
O esforço começa já nos espetáculos. Na abertura, um dos momentos mais aguardados, haverá uma grande novidade: técnicas de experiência sensorial estimularão os sentidos de quem estiver assistindo, seja no local ou em casa. O objetivo é permitir que qualquer pessoa receba e se emocione com o conceito dos jogos.

"Queremos fazer as pessoas repensarem o que elas entendem como deficiência, pois todos os seres humanos têm deficiências e imperfeições. Os Jogos Paralímpicos mostram pessoas com deficiências físicas atingindo a alta performance. Mostraremos isso também na cerimônia de abertura", diz Flávio Machado, vice-presidente do consórcio Cerimônias Cariocas 2016.


Visita sensorial

Outra iniciativa já implantada neste sentido é a montagem de uma maquete do Parque Olímpico da Barra da Tijuca criada para ser “sentida” – o que os olhos não veem as mãos sentem e transformam a experiência em encantamento.

Não importa o nível de visão que se tenha, o Parque Olímpico com suas 9 arenas se revela em detalhes para qualquer deficiente visual que queira experimentar um passeio diferente, com as mãos, captando com os dedos as informações em braile e os contornos de cada construção.


Paralimpíada: pensada com amor desde o início
Para o evento Paralímpico o empenho é ainda maior. A intenção é que ele seja percebido como um evento de igual importância social, e não como ação menor. Por isso, o carinho começou do ponto zero: a concepção da logomarca.

Neste vídeo emocionante, podemos ver todo o empenho e preocupação da equipe de criação ao fazê-la, e a emoção dos nossos atletas ao tocá-la.




O treino que muda opiniões
Dentro da campanha #TemQueVer, que tem por objetivo estimular o comparecimento do público, o comitê produziu ainda uma série de peças e vídeos mostrando que ver um atleta paralímpico em ação é ainda mais surpreendente.

Neste aqui (muito divertido e bem sacado), 3 atletas foram chamados para treinar em uma academia, e a reação dos alunos foi filmada por câmeras escondidas.

O resultado vale o seu play!




R$10,00 para ficar sem palavras
Para quem quiser assistir estes jogos de arrepiar, os ingressos custam a partir de R$10,00, e o espectador poderá comprar até 12 por sessão para reunir toda a família e torcer pelo Brasil.

domingo, 13 de março de 2016

Professora de 102 anos continua a ensinar alunos nos EUA




















A norte-americana Agnes Zhelesnik, que está com 102 anos, é um exemplo de profissional que não quis deixar a carreira de lado. Ela atua como professora em uma escola de educação básica nos Estados Unidos e ganhou dos seus alunos o apelido de “Granny”, que em inglês é uma forma carinhosa usada pelas crianças para se referirem às suas avós.

Considerada por seus colegas e outros profissionais da área como a professora mais velha dos EUA, Agnes trabalha, desde os 81 anos, em período integral na The Sundance School, em New Jersey. As disciplinas ensinadas por ela são culinária e costura.

Em entrevista à revista norte-americana Time, a professora disse que pretende seguir ensinando. “Eu vou continuar até quando puder, fazendo os meus alunos felizes e os ajudando da melhor forma”, conta. Para seus colegas da Sundance School, Agnes é um exemplo e uma inspiração.

“Ela é um ícone desta escola”, diz Benjamin Foz, diretor da instituição. “Além disso, prepara uma comida deliciosa e deixa todo o ambiente com um cheiro maravilhoso. Ela nos faz muito felizes, os alunos sempre a estão abraçando. É como se fôssemos uma família e ela a nossa avó”, completa.

No Brasil, considerado hoje uma nação jovem de cabelos grisalhos, estima-se que em 2025 seremos o sexto país do mundo em número de idosos. Mas, afinal, como manter a produtividade dos nossos professores na terceira idade? Quais os cuidados necessários para envelhecer com qualidade de vida? Essas e outras respostas você encontra na Revista Appai Educar.

quinta-feira, 10 de março de 2016

O mosquito pica ou não as pessoas em movimento?





























Um alvo em movimento é sempre mais difícil de acertar. Mas não há nada que impeça o Aedes aegypti de picar alguém correndo, até porque ele voa. Por isso, não facilite a vida do mosquito. Se você for participar de um de nossos eventos de corrida e esquecer o repelente, lembre-se que a Appai possui este material a sua disposição na tenda do Programa Saúde 10. Lá você também encontrará protetor solar. Afinal, mesmo nas primeiras horas da manhã já precisa estar protegido. Aproveite esse post também para sanar algumas dúvidas sobre a doença:

1 – A picada do mosquito é a única forma de transmissão da dengue?
Sim, a dengue não é transmitida por pessoas, objetos ou outros animais.

2 – É verdade que somente a fêmea do mosquito pica as pessoas?
Sim, pois é a fêmea que necessita do sangue em seu organismo para amadurecer seus ovos e assim dar sequência ao seu ciclo de vida.

3 – Como a pessoa reconhece o mosquito Aedes aegypti?
O Aedes é parecido com o pernilongo comum e pode ser identificado por algumas características que o diferenciam, como o corpo escuro e rajado de branco e o hábito de picar durante o dia.

4 – Qualquer inseticida mata o mosquito da dengue?
Sim, porém a aplicação dos inseticidas atua somente sobre a forma adulta do mosquito, surtindo efeito momentâneo com poder residual de pouca duração.

5 – Uma pessoa infectada pode passar a doença para outra?
Não há transmissão por contato direto de um doente ou de suas secreções para pessoas sadias. O contágio também não acontece por meio de fontes de água, alimentos ou uso de objetos pessoais de doentes de dengue.

6 – Todo mundo que é picado pelo mosquito Aedes aegypti fica doente?
É preciso que o mosquito esteja infectado com o vírus da dengue. Além disso, muitas pessoas picadas pelo inseto infectado não demonstram sintomas. Outras apresentam sinais brandos, que podem passar despercebidos ou ser confundidos com gripe, existindo ainda aquelas que são acometidas de forma acentuada, com sintomatologia exacerbada.

7 – Em quanto tempo os sintomas aparecem?
De três a quinze dias após a picada do mosquito infectado.

8 – A pessoa pode estar com a doença e apresentar apenas alguns dos sintomas? Não ter febre, por exemplo?
Sim. A intensidade dos sintomas varia muito de pessoa para pessoa.

9 – Quem teve dengue fica com alguma complicação?
Não. A recuperação costuma ser total. É comum que ocorra durante alguns dias uma sensação de cansaço, que desaparece completamente com o tempo.

10 – Quem já teve dengue uma vez pode ser contaminado novamente ou fica imune?

Estudos indicam que uma pessoa doente de dengue fica imune para sempre, com relação ao sorotipo que determinou a infecção, além do que, por um período de alguns meses, ela fica protegida para qualquer dos sorotipos de dengue. Passado este tempo, se ela for infectada por outro tipo de vírus diferente daquele de que se contaminou antes poderá ter comprometimento do quadro clínico e desencadear a dengue hemorrágica.

quarta-feira, 9 de março de 2016

Quando a Dança de Salão muda a nossa vida

Que o benefício Dança de Salão é um sucesso não podemos negar. Todos os associados quando se referem a ele sempre têm boas recordações. Hoje, separamos uma carta especial que recebemos de uma associada participante do polo de Madureira. Confira abaixo:

***********✉️***********
De: Iracema do Nascimento Reis
Para: Benefício Dança de Salão

Dançar! Não imaginava que aos 78 anos poderia fazer essa atividade. Ao pedir informações à Appai sobre um exame médico, a atendente do setor de Apoio ao Associado me perguntou se eu queria me inscrever em uma aula, pois havia um Polo de Dança próximo de minha residência. Pensei “vou até lá ver e, se não gostar, não volto”. Acabei gostando do acolhimento e do professor Rubinho, que é atencioso e quer que nós aprendamos. Com esse convívio, passei a me sentir animada, principalmente porque os exercícios se tornaram bons para o meu corpo e mente.

Sempre estava indo ao médico por causa da pressão alta e, depois que passei a frequentar estas aulas, ela passou a ficar estabilizada. O convívio com as pessoas do grupo do Polo de Madureira me faz muito bem. Obrigada Appai!

***********✉️***********

Se você é um daqueles que ama o Benefício Dança de Salão envie um e-mail para redacao@appai.org.br contando a sua experiência. Em breve ela poderá ser publicada aqui no Blog da Appai.


Espaço “fica a dica”:

Aproveitamos para lembrar que mais um Grande Baile da Appai está chegando e você não pode ficar de fora dessa. Num momento em que todos os participantes dos Polos de Dança podem colocar em prática sua aprendizagem rítmica, a 28ª edição do evento mais aguardado do Rio de Janeiro está de volta para comemorar o trigésimo aniversário da Associação.

O associado que solicitou os convites de 24 de fevereiro até 16 de março poderá retirá-lo no período de 14 a 24 de março.

Fique atento, em breve novas datas de solicitações e retiradas serão divulgadas.

quarta-feira, 2 de março de 2016

Aplicativo para celular ajudará a combater o Aedes aegypti





























Sabia que você pode combater o mosquito Aedes aegypti com a ajuda do seu celular? Basta baixar o aplicativo 0800 Saúde que acaba de ser lançado pelo governo federal. A novidade foi desenvolvida pelos ministérios das Comunicações e da Saúde em parceria com a empresa Qualcomm.

O 0800 Saúde será um importante instrumento para levar informações de utilidade pública sobre a doença provocada pelo vírus da Zika, como suas causas e sua relação com casos de microcefalia em recém-nascidos. Além disso, o aplicativo terá orientações sobre como combater o mosquito.

O aplicativo também permitirá a geolocalização de vários serviços oferecidos na área de saúde pública, como postos de saúde do SUS e Farmácias Populares mais próximas para a retirada de medicamentos gratuitos.

O 0800 Saúde conta ainda com o apoio das quatro maiores operadoras do país (Vivo, Claro, Tim e Oi), de modo que o acesso da população é gratuito, ou seja, sem cobrança de dados móveis. O cidadão poderá fazer o download para os sistemas operacionais Android e iOS.

Além do uso do aplicativo, muitos professores e escolas estão mobilizando ações de combate ao Aedes aegypti. Um exemplo disso é a professora Kátia Nascimento, da Escola Municipal Vale do Tinguá, que desenvolveu o projeto “Xô dengue, cai fora”, divulgado na edição 97 da Revista Appai Educar (leia a matéria aqui).

Além dela, a Escola Municipal Dom José Pereira Alves realizou uma Feira de Ciências voltada para a preservação do ecossistema, onde os alunos desenvolveram muitos trabalhos acerca do tema. Um deles foi sobre a reciclagem dos pneus, que além de contribuir com o meio ambiente, ajuda a eliminar possíveis criadouros do mosquito transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya. O projeto foi divulgado na edição 98 da Revista Appai Educar (leia a matéria aqui).

E você, professor, o que tem feito para combater o mosquito Aedes aegypti?



Fonte: Ministério da Saúde