Pular para o conteúdo principal

Ainda tem mais nas entrelinhas e além das linhas?


No texto de hoje, serão apresentados outros tipos de preconceito e discriminação, relatos sobre como esses julgamentos étnico-raciais são expressos e de que forma pais e professores podem trabalhar em casa e na escola para ajudar as crianças, os jovens e os adultos a pensar um mundo mais humanitário e solidário, em que todos convivam em harmonia e se acolham.

Alguns tipos de preconceito e discriminação


O preconceito e a discriminação estão para além da cor da pele. Observe nas imagens a seguir alguns exemplos:


Xenofobia é um tipo de preconceito caracterizado pela aversão, hostilidade, repúdio ou ódio aos estrangeiros, que pode estar fundamentado em diversos fatores históricos, culturais, religiosos, dentre outros. Como exemplo, a xenofobia ou racismo emergente nos países europeus contra os imigrantes africanos e árabes.


Skinheads (cabeças raspadas) – movimento formado por jovens de origem operária que surgiu no Reino Unido, ligado ao neonazismo. Há inúmeras derivações, e quem tiver interesse poderá pesquisar e aprofundar o conhecimento.

Antissemitismo é o preconceito ou a hostilidade contra judeus baseados em ódio contra seu histórico étnico, cultural e/ou religioso. Na Segunda Guerra, esse movimento liquidou milhões de judeus e incluiu também ciganos.



Apartheid (1948) - O termo “apartheid” se refere a uma política racial implantada na África do Sul. De acordo com esse regime, a minoria branca, os únicos com direito a voto, detinha todo o poder político e econômico no país, enquanto à imensa maioria negra restava a obrigação de obedecer rigorosamente à legislação separatista.
Os exemplos apresentados servem para demonstrar que o preconceito e a discriminação existem em diferentes formatos e com motivações variadas, porém é certo que a falta de conhecimento genuíno sobre o tema fortalece o preconceito.

O foco de nossa discussão hoje é a problemática étnico-racial, a compreensão de como se expressa na prática e os reflexos disso no nosso cotidiano.

“Se um negro e um judeu se apresentarem na porta de um local onde ambos são indesejados, o judeu poderá entrar, caso não haja suspeita de que ele é judeu, mas o negro será barrado na porta, por causa da geografia de seu corpo”. Exemplo dado pelo filósofo Jean-Paul Sartre, mencionado pelo professor doutor Kabengele Munanga durante uma aula a que assisti.

Relatos sobre como o preconceito e a discriminação étnico-raciais são expressos

Joca (nome fictício adotado para resguardar a identidade da criança), 10 anos, brasileiro
Apresentei ao Joca a imagem de duas crianças, Claudia (negra) e Marta (branca e de olhos claros). Perguntei: Qual é a mais bonita?; Qual é a mais inteligente?; Qual é a mais bondosa? Fiz uma pergunta por vez, dando a ele a oportunidade de refletir.
Para as três perguntas a resposta foi a mesma: a branca.
Então perguntei o porquê de suas respostas, e ele disse: “Eu acho que o ‘preto’ é sempre do mal.”

Elza Soares, 85, cantora
“Eu era uma criança, não tinha nem dez anos, mas já ajudava a minha mãe, que lavava roupa para fora. Como era comum naquela época (início dos anos 1940), não podíamos usar o elevador social dos prédios, só o de serviço. Uma coisa estúpida. Mas naquele dia, que eu nunca esqueci, o elevador de serviço estava dando defeito. Com uma trouxa de roupa nos braços, minha mãe não viu que a cabine estava em outro andar quando abriu a porta e se esborrachou no fosso. Foi uma cena desumana. O porteiro não avisou sobre o defeito e tampouco nos deixou usar o elevador social. Empregados, quase sempre negros, não podiam. Minha mãe se machucou bastante, mas mesmo assim ninguém foi solidário com ela. Teve que sair pelos fundos, para não incomodar os moradores. Só muitos anos depois, já adulta, é que consegui processar essa imagem.”

Frei David Raimundo dos Santos, 63 anos, frade, fundador da ONG Educafro
“Foi quando eu era seminarista no interior de São Paulo. Era 13 de maio de 1966 e os meus colegas de seminário, quase todos descendentes de italianos ou alemães, resolveram homenagear o dia da abolição dos escravos com um almoço. Nós, os poucos negros ou pardos da turma, fomos convidados a sentar na mesa central do refeitório, decorada com as palavras ‘Navio Negreiro’. Quando vi aquilo me recusei e sentei numa mesa lateral, com todos os outros colegas. Pois os organizadores daquilo me pegaram à força, me arrastaram e me fizeram sentar na marra junto aos outros negros, no que considerei uma ofensa gravíssima. Arrumei as malas para ir embora, mas fui convencido a ficar pelo padre do local. Ele me recomendou que deixasse o ódio passar e que tomasse aquele episódio como bandeira de luta para um mundo melhor. E, de fato, aquele episódio alterou radicalmente a direção da minha vida. Foi a partir de então que tirei a foto do meu pai, que era negro, do fundo da minha mala e coloquei-a ao lado da fotografia da minha mãe, branca, com os meus objetos pessoais.”

De que forma os pais e professores podem trabalhar em casa e na sala de aula?
Pais e professores precisam, em primeiro lugar, revisar os próprios conceitos, compreender se, até mesmo de forma inconsciente, há “pré”-conceito arraigado. Se a resposta para isso for afirmativa, é preciso buscar mais informações sobre o tema e criar uma boa base para situar seus conceitos e seu conhecimento. E é exatamente nesse ponto que uma teoria razoável precisa ser apresentada para que haja, inclusive, coerência ao orientar os alunos quanto a essa questão a ser desmistificada. Que teoria indicamos para explicar a diversidade humana para crianças, jovens e adultos?
A resposta foi dada pelo professor doutor Kabengele Munanga, que indica a teoria da seleção natural (Darwin). Ela explica que os organismos vivos evoluíram gradativamente a partir de uma origem comum e se diversificaram no tempo e no espaço, adaptando-se aos meios ambientes hostis, que também estavam em transformação. Assim, as diversificações e sobrevivência da espécie ocorreram influenciadas por fatores genéticos (menor percentual), mas também e muito fortemente pelas diferentes temperaturas, umidade, solo, radiação, pressão, todos os fatores ambientais, incluindo também outros aspectos, tais como: predadores da espécie, fontes de alimentos e por aí a fora.
Estudos e pesquisas confirmam que os primeiros seres humanos evoluíram em ambientes com muita concentração de raios UV na África Equatorial, isso há dois milhões de anos. Esses humanos tinham pele rica em melanina, cujas principais funções são a pigmentação e a proteção contra a radiação solar. Deles somos todos herdeiros, sendo essa nossa origem comum.
Acontece que migramos “n” vezes, e alguns de nossos antepassados viveram em lugares cujas condições ambientais eram mais frias (com menor concentração de UV), diferente do clima na África Equatorial, portanto não potencializaram a melanina. Como consequência (de forma simplificada), perderam um tanto da concentração da pigmentação.
Assim, sem classificações complicadas e preconceituosas, compreendemos e explicamos a diversidade étnico-racial. Compreendendo que não há inferioridade ou superioridade entre as etnias, devemos trabalhar com as crianças, os jovens e os adultos, em casa ou na escola, que o respeito e o acolhimento entre as pessoas marca uma qualidade fundamental entre os seres humanos, e é esse valor que nos aproxima, nos torna humanitários e dignos desse presente que é viver.
Diga não à discriminação étnico-racial e a qualquer outro tipo de discriminação. Pais, professores, educadores e cidadãos, precisamos lutar contra o que nos foi incutido, contra aquilo que está além das linhas.

* Depoimentos de Elza Soares e de Frei David disponíveis em: www.educafro.org.br/site/relatos-de-racismo.


Comentários

  1. Nossa
    Muito bom
    Interessante o argumento da melanina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcos, obrigada por participar. Sim, a explicação é pertinente...

      Excluir
  2. Obrigada, Eliana. Sua participação muito nos ajuda. Divulgue o quanto puder...

    ResponderExcluir
  3. além do preconceito e estigmatização, casamento e namoro com pessoas negras ainda é tabu. É mais fácil ver mulheres de cor clara, namorando ou casadas com negros do que vice-versa. Homens ainda tem a infeliz fantasia da mulata para noites calientes e nada mais, porque não querem filhos negros, ou as famílias fazem pressão para que o relacionamento não se estenda ao casamento.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui.

Postagens mais visitadas deste blog

Pedro II abre concurso federal para professor

Segue até o próximo dia 17 as inscrições para o concurso para preenchimento de vagas para novos professores no tradicional Colégio Pedro II. São 14 cargos efetivos nos ensinos Básico, Técnico e Tecnológico. Além disso os organizadores aproveitam para criar um banco de reservas para cada disciplina oferecida.
As inscrições são somente virtuais pelo site www.cp2.g12.br. Após preencher a ficha é necessário imprimir a GRU - Guia de Recolhimento da União - e efetuar o pagamento da taxa no valor de R$ 160,00. O concurso terá validade de 1 ano e poderá ser prorrogado por igual período.
Pertencente ao Governo Federal, o Pedro II é o terceiro colégio mais antigo do país ainda em atividade, depois do Ginásio Pernambucano e do Atheneu Norte-Riograndense. O Pedro II tem 13 mil alunos que estudam em 14 campi, sendo 12 no município do Rio de Janeiro, um em Niterói e um em Duque de Caxias, além de uma unidade de educação infantil.
Salário pode dobrar com titulação profissional O salário básico é de R$ 4…

Passo a passo para utilizar o Benefício Boa Viagem

Olá, associado! Ainda tem dúvidas em relação ao Benefício Boa Viagem? No post de hoje vamos esclarecer essas questões e ainda mostrar o passo a passo de como utilizar este benefício.
1 – Leia o Regulamento O primeiro passo é ler o regulamento e ficar atento às regras, cláusulas e condições do benefício. O regulamento está disponível em: http://www.appai.org.br/beneficio-boa-viagem.aspx
Site da Appai → Benefício Boa Viagem → Regulamento

2 – Pousadas Conveniadas O associado e beneficiário, regulares na Appai, deverão verificar os hotéis e pousadas no Guia do Associado ou em nosso site e fazer a sua escolha. São diversas opções de roteiros, que vão desde a calmaria da região serrana até as mais belas praias do Estado do Rio de Janeiro.
Site da Appai → Benefício Boa Viagem → Destinos e Pousadas

3 – Reservas Depois de escolher o destino e a pousada de sua preferência, o associado e/ou beneficiário deverão entrar em contato diretamente com o estabelecimento conveniado para fazer a reserva de estad…

A verdade sobre a "Loura do Banheiro"

Sem dúvida nenhuma: é a lenda urbana mais forte no Brasil, que de tempos em tempos ressurge como uma fênix, com uma nova roupagem, mas a essência continua a mesma. A “Mulher Loura”, como é conhecida no Rio, uma redundância em gênero que deixa os professores de português de cabelo em pé. Porém, na verdade ela assusta mesmo é gerações de estudantes. Certamente muitos professores que hoje tentam, em vão, acalmar seus alunos e desmistificar já foram aterrorizados por ela, um dia, quando frequentavam as carteiras escolares. A histeria coletiva chegou ao ponto de casos de escolas que suspenderam as aulas até que os alunos se acalmassem.

Evitar o banheiro a todo custo Para os professores um trabalho a mais. Muitos não iam ao banheiro sem que a professora fosse junto. Outros formavam grupos para seguirem coletivamente. Não era raro alguns prenderem suas necessidades esperando voltar para casa. Isso, quando não acontecia o pior, ao não resistirem a todo esse tempo de abstinência. Nunca vou me es…

A construção da imagem de Tiradentes

Uma abordagem básica possivelmente revelará que Tiradentes é o herói preferido dos brasileiros, ficando à frente de nomes de grande apelo popular, como o líder Zumbi dos Palmares ou o arrojado D. Pedro I. Apesar de a história popularmente divulgada do Mártir da Inconfidência estar repleta de elementos de valor universal, como os ideais de liberdade e justiça, o fato é que a boa imagem do inconfidente é fruto da tentativa de acomodar esse momento da história aos objetivos de quem esteve nas proximidades do poder.
Foi na República que a imagem de Tiradentes começa a ser trabalhada de forma consciente e intencional. O movimento militar, de base positivista, que derrubou a Monarquia tinha em mente o objetivo bem explícito de atuar no imaginário da população, reduzindo a influência que o sistema colonial imprimira ao longo de mais de três séculos. Tiradentes era alferes, lutava pela instalação de um regime republicano e único condenado à morte na conspiração. Elementos, portanto, bastante i…

3 novos destinos do Benefício Boa Viagem para você descansar

Chegou a hora de programar sua viagem. Com o Benefício Boa Viagem, duas diárias em hotel ou pousada já estão garantidas para você e um acompanhante. Agora só falta você escolher o seu destino e arrumar as malas. A nossa dica é: Região Serrana do Rio de Janeiro. Conheça as opções e agende agora mesmo sua próxima diversão!

Penedo Conhecida como destino romântico, a cidade é ideal para quem procura tirar uns dias de tranquilidade. Com arquitetura finlandesa, o local tem um polo gastronômico riquíssimo especializado na culinária europeia e ainda conta, nesta época natalina, com uma atração sensacional chamada de “A Casa do Papai-Noel”, situada no Complexo Comercial Pequena Finlândia, um ponto turístico que não pode deixar de ser visitado por quem escolhe este destino.

Cachoeiras de Macacu Se você é fã de água doce, este é o destino ideal para os seus tão sonhados dias de descanso. Este paraíso ecológico fluminense oferece diversas cachoeiras que formam duchas, tobogãs e piscinas naturais, tud…