Pular para o conteúdo principal

Encaminhamentos da Educação Finlandesa: Uma das primeiras no mundo


A aprendizagem baseada no fenômeno e em problemas é o que há de mais contemporâneo em Educação. Vem comigo e vamos compreender o que isso significa na prática e que caminhos são necessários.

País que fica ao norte da Europa, a Finlândia possui um dos melhores índices de qualidade em Educação do mundo, e esse processo de implementação da qualidade iniciou-se lá nos anos 1980, portanto tem muita bagagem e aprendizado. Mas o que podemos aprender com eles?

Os quatro principais encaminhamentos praticados por educadores finlandeses para uma educação de qualidade:

  • Adotar a aprendizagem baseada no fenômeno ou em problemas
No lugar de ensinar conteúdos estanques de Língua Portuguesa, História, Geografia e tantas outras disciplinas, os professores finlandeses partem de um fenômeno ou de um problema, como, por exemplo, “Mudanças climáticas” (fenômeno) ou “Qual é a qualidade dos alimentos que consumimos?” (problema), para então realizar um estudo interdisciplinar e multidisciplinar para compreender de forma integrada o tal fenômeno ou problema.

São encaminhamentos metodológicos em que o ponto de partida são problemas reais ou fictícios estudados, para que, além de compreender sua origem e as possíveis relações, também possam ser pensadas e buscadas soluções de problemas para uma determinada comunidade, de preferência a local, aquela em que o aluno está inserido.

  • Elencar objetivos de aprendizagem
Na aprendizagem baseada em um fenômeno ou problema, o professor precisa ter claros os possíveis objetivos de aprendizagem da aula, daquele encontro com os alunos. Há uma diferença substancial entre objetivo de ensino e de aprendizagem. E, no caso de uma aprendizagem baseada em problemas, o foco vai para os objetivos de aprendizagem, entendidos como aqueles que respondem ao seguinte questionamento: “Do que o aluno será capaz no fim daquele estudo, encontro ou aula?”.

Como exemplo ilustrativo, podemos citar um dos possíveis objetivos de aprendizagem, construído por um professor, com a ajuda de um dos alunos, sobre os alimentos que consumimos: “Na conclusão das pesquisas e dos estudos, o aluno será capaz de descobrir os passos para a higienização de alimentos que contêm agrotóxicos”. Esse tipo de objetivo está centrado no aluno, em sua aprendizagem, e não no professor. Muito embora saiba o que o aluno precisa aprender (pois sua ação é intencional), o professor assume o papel de orientador daquela aprendizagem, e não o de transmissor de conteúdos disciplinares.

Para a aprendizagem que utiliza um fenômeno ou um problema como ponto de partida, as respostas aos objetivos de aprendizagem trazem uma carga grande de soluções práticas para o aluno ou mesmo a comunidade, e isso gera significado e transformação, objetivo maior da aprendizagem.

  • Incluir o estudante na criação da rota para o próprio aprendizado
O estudante tem papel ativo nesse processo, pois não há caminhos “engessados” para analisar o fenômeno ou o problema. É preciso “desconstruir”, desmembrar o todo para depois construí-lo novamente, e assim ser possível melhor compreendê-lo.

Em alguns países, em geral é o professor que prepara a aula. O aluno não participa muito das decisões quanto à rota de aprendizagem e acaba por fazer muito pouco nesse sentido. Ao aluno são destinadas as atividades, provas e testes, porém é justamente quando ele participa dessas escolhas de rotas que a aprendizagem se torna mais significativa, pois envolve também seus conhecimentos prévios e sua participação ativa em todo o processo.

  • Praticar a aprendizagem baseada em projetos
Dentre várias possibilidades de encaminhamentos práticos realizados em sala de aula, registramos aqui uma forma possível, baseada na experiência de professores brasileiros que se inspiraram nos encaminhamentos testados por educadores finlandeses. Vamos aos passos:

  1. Eleição de um fenômeno ou problema – Essa atividade deve ser realizada com os alunos. O professor, como bom orientador do processo, deve ter temas e questões em mente para sugerir e intencionalmente trazê-los à baila, caso perceba que os alunos não o fazem de imediato ou eventualmente se confundam. Nesse caso, o professor resgata a rota, orienta.
Após escolhido, o tema ou problema maior deve ser aberto em subtemas (sem perder o sentido de abrangência e aprofundamento), e as questões norteadoras devem ser levantadas a partir dessa correlação de temas e subtemas. As questões norteadoras ou perguntas darão origem a diferentes projetos a serem trabalhados pelas equipes em sala de aula.
  1. Criação de equipes de trabalho – É importante que a equipe seja equilibrada com alunos de diferentes talentos que possam se somar para o bom andamento do projeto, e que seja formada por três a quatro alunos, no máximo.
  2. Definição de objetivos de aprendizagem – Para cada questão norteadora elencada por equipe, é fundamental elencar os objetivos de aprendizagem, que respondem à questão: De que seremos capazes no término do projeto? Muitas soluções práticas vão emergir como respostas aos objetivos de aprendizagem atingidos, por isso é fundamental pensar na sua elaboração.
  3. Planejamento do trabalho – Quem não planeja está planejando fracassar, já dizia Benjamin Franklin. Por isso, é importante que o professor oriente caminhos para esse planejamento, mas ao mesmo tempo também permita aos alunos buscarem os próprios meios para isso. As alternativas são muitas, é preciso abrir espaço para escolhas e oferecer também o direito a errar, pois o erro faz parte do processo.
  4. Desenvolvimento do trabalho – Nessa etapa, o planejado é colocado em prática. Em geral, as estratégias usadas pelos alunos passam por pesquisa teórica sobre o tema ou as soluções, pesquisa com a população local, com autoridades e responsáveis legais e aí por diante. Sugerimos que no planejamento seja incluída uma fase de análise de dados e conclusões com recomendações práticas.
  5. Apresentação da conclusão do projeto – Etapa em que a apresentação de resultados para a sala/comunidade é realizada. Na etapa do planejamento, já pode ser pensada em termos de formato. Algumas equipes fazem uma apresentação por meio de contação de histórias, outras preparam pequenos vídeos e outras escolhem expor o tema e a resposta para a pergunta geradora. Existem diferentes formas de apresentação, mas o que realmente importa é o que aprenderam com a experiência.
E eu aproveito e convido todos vocês a acompanharem o II Encontro de Educação no dia 24 de Junho.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pedro II abre concurso federal para professor

Segue até o próximo dia 17 as inscrições para o concurso para preenchimento de vagas para novos professores no tradicional Colégio Pedro II. São 14 cargos efetivos nos ensinos Básico, Técnico e Tecnológico. Além disso os organizadores aproveitam para criar um banco de reservas para cada disciplina oferecida.
As inscrições são somente virtuais pelo site www.cp2.g12.br. Após preencher a ficha é necessário imprimir a GRU - Guia de Recolhimento da União - e efetuar o pagamento da taxa no valor de R$ 160,00. O concurso terá validade de 1 ano e poderá ser prorrogado por igual período.
Pertencente ao Governo Federal, o Pedro II é o terceiro colégio mais antigo do país ainda em atividade, depois do Ginásio Pernambucano e do Atheneu Norte-Riograndense. O Pedro II tem 13 mil alunos que estudam em 14 campi, sendo 12 no município do Rio de Janeiro, um em Niterói e um em Duque de Caxias, além de uma unidade de educação infantil.
Salário pode dobrar com titulação profissional O salário básico é de R$ 4…

Passo a passo para utilizar o Benefício Boa Viagem

Olá, associado! Ainda tem dúvidas em relação ao Benefício Boa Viagem? No post de hoje vamos esclarecer essas questões e ainda mostrar o passo a passo de como utilizar este benefício.
1 – Leia o Regulamento O primeiro passo é ler o regulamento e ficar atento às regras, cláusulas e condições do benefício. O regulamento está disponível em: http://www.appai.org.br/beneficio-boa-viagem.aspx
Site da Appai → Benefício Boa Viagem → Regulamento

2 – Pousadas Conveniadas O associado e beneficiário, regulares na Appai, deverão verificar os hotéis e pousadas no Guia do Associado ou em nosso site e fazer a sua escolha. São diversas opções de roteiros, que vão desde a calmaria da região serrana até as mais belas praias do Estado do Rio de Janeiro.
Site da Appai → Benefício Boa Viagem → Destinos e Pousadas

3 – Reservas Depois de escolher o destino e a pousada de sua preferência, o associado e/ou beneficiário deverão entrar em contato diretamente com o estabelecimento conveniado para fazer a reserva de estad…

A construção da imagem de Tiradentes

Uma abordagem básica possivelmente revelará que Tiradentes é o herói preferido dos brasileiros, ficando à frente de nomes de grande apelo popular, como o líder Zumbi dos Palmares ou o arrojado D. Pedro I. Apesar de a história popularmente divulgada do Mártir da Inconfidência estar repleta de elementos de valor universal, como os ideais de liberdade e justiça, o fato é que a boa imagem do inconfidente é fruto da tentativa de acomodar esse momento da história aos objetivos de quem esteve nas proximidades do poder.
Foi na República que a imagem de Tiradentes começa a ser trabalhada de forma consciente e intencional. O movimento militar, de base positivista, que derrubou a Monarquia tinha em mente o objetivo bem explícito de atuar no imaginário da população, reduzindo a influência que o sistema colonial imprimira ao longo de mais de três séculos. Tiradentes era alferes, lutava pela instalação de um regime republicano e único condenado à morte na conspiração. Elementos, portanto, bastante i…

3 novos destinos do Benefício Boa Viagem para você descansar

Chegou a hora de programar sua viagem. Com o Benefício Boa Viagem, duas diárias em hotel ou pousada já estão garantidas para você e um acompanhante. Agora só falta você escolher o seu destino e arrumar as malas. A nossa dica é: Região Serrana do Rio de Janeiro. Conheça as opções e agende agora mesmo sua próxima diversão!

Penedo Conhecida como destino romântico, a cidade é ideal para quem procura tirar uns dias de tranquilidade. Com arquitetura finlandesa, o local tem um polo gastronômico riquíssimo especializado na culinária europeia e ainda conta, nesta época natalina, com uma atração sensacional chamada de “A Casa do Papai-Noel”, situada no Complexo Comercial Pequena Finlândia, um ponto turístico que não pode deixar de ser visitado por quem escolhe este destino.

Cachoeiras de Macacu Se você é fã de água doce, este é o destino ideal para os seus tão sonhados dias de descanso. Este paraíso ecológico fluminense oferece diversas cachoeiras que formam duchas, tobogãs e piscinas naturais, tud…

Para além do “terra à vista”

A “certidão de nascimento do Brasil”. É como um certo senso comum habituou-se a classificar a carta escrita pelo escrivão da expedição comandada por Pedro Álvares Cabral, que contém os primeiros e mais significativos relatos sobre a terra e seus moradores. A fama e a importância historiográfica que acabou sendo atribuída a esse documento acabariam por ocultar o fato de que uma série de outros registros igualmente importantes e informativos foi produzida nos anos próximos a 1500, data em que se deu o “achamento” das terras. Alguns desses textos revelam pontos relevantes, que têm ajudado a compor o quadro tanto quanto possível real do singular encontro entre contextos tão diferentes.
Há inclusive registro de um documento anterior à própria partida das naus cabralinas, um relatório redigido por Vasco da Gama, que deixa clara uma anterior experiência do pioneiro navegante pelas águas que seriam singradas pelas frotas de Cabral. Um detalhe importante vem à tona nesse escrito. Em meio a inst…