Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2017

A origem das relações humanas no Brasil

Pode até soar como exagero, mas não é absurdo dizer que a família brasileira começou a ser desenhada muito antes da chegada dos europeus à América, mais precisamente no século XII. Foi nesse período que através de mercadores árabes e com colaboração das cruzadas o açúcar passou a ser conhecido na Europa. A chegada desse produto foi muito impactante para vida de quem podia adquirir o então valiosíssimo produto. Isso porque, além de oferecer um novo sabor à alimentação, adoçando a vida do Velho Continente, como diria Gilberto Freyre, o açúcar também ofereceu uma importante contribuição para o fabrico de medicamentos, além de permitir conservar outros alimentos por um tempo muito maior.
Essas novas facilidades fariam com que os preços do produto fossem exorbitantes, transformando-o numa iguaria que só podia ser consumida pelos muito ricos. Reis e nobres, naturalmente. Há documentos do século XIV que relatam testamentos que brindaram pessoas queridas com o estoque de açúcar de um rico prop…

A Escola do Futuro

É possível imaginar a escola do futuro ao pensarmos na que temos nos dias atuais? Essa foi uma das primeiras indagações do palestrante António Nóvoa no Congresso Internacional de Educação de Gramado, realizado no Rio Grande do Sul: “A escola tem futuro sim, mas não será essa que vemos nos dias de hoje”, afirma o educador, ao explicar que o que nós, hoje, chamamos de escola é uma instituição centenária do ponto de vista dos encaminhamentos e da pedagogia, e que praticamente se manteve inalterada até os dias atuais. E, para contar a história da escola, ele recorre ao objeto que, simbolicamente, melhor a caracteriza: o “quadro-negro” ou, para nós do Brasil, o quadro verde. Pois, segundo o catedrático, com esse elemento surgem também as escolas “Normais”, de formação dos professores, dedicadas a “normalizar” a didática, a sala de aula, as turmas, os horários e a progressão dos estudos. Ele aponta que as escolas Normais conduziram enormes avanços no século XX, mas para o XXI, para hoje, nec…

Um São João como cultura universal

João, o batizador de Jesus, segundo a tradição cristã, é uma das figuras mais presentes e referenciais da cristandade. Mais do que o santo católico e, para os brasileiros, um dos santos juninos, trata-se de um personagem relacionado a uma série de outras tradições e realidades culturais. Criado sob a influência da intensa religiosidade praticada pelos pais, João não demorou a se inclinar para as questões de natureza mística, sendo levado ao nazirato, costume típico de algumas famílias religiosas judaicas, que colocavam seus filhos para fazer votos que os predispunham a práticas ascéticas. Os nazireus eram caracterizados pela farta barba (quando havia, já que alguns eram muito jovens), pelos cabelos cumpridos e ainda por hábitos como a abstenção de bebidas alcoólicas e a proibição de tocar em cadáveres. A partir de toda essa disciplina eram introduzidos em conceitos e problemáticas religiosas de nível mais elevado, aproximando-se assim das atividades sacerdotais e rabínicas. Esses asce…

15 ideias que vão mudar a sua visão de escola

“Aqui não é igual às outras escolas, que hoje a gente vai fazer matemática depois ciências. A gente não pega o livro e nem todo mundo faz a mesma coisa.” João Pedro Generoso – Educando de 9 anos, Projeto Âncora.
Quando mencionamos inovação na educação, pensamos em “altas” tecnologias envolvidas, prédios espetaculares etc. Mas a realidade vem mostrando que o que está em jogo é muito mais uma questão de encaminhamento metodológico, de quebra de modelos engessados, de propor uma forma diferente de organização e funcionamento, do que de tecnologias ou estruturas físicas pós-modernas. E, para provar que a mudança funciona, nos inspiramos na experiência retratada pela série “Destino: Educação - Escolas Inovadoras/2016”, apresentada nesse mês de setembro pelo canal Futura. 
O primeiro episódio apresenta a realidade de uma escola nascida recentemente em São Paulo, sediada no município de Cotia, numa região de baixo poder aquisitivo, com crianças em situação de vulnerabilidade social, que moram …

Um pouco sobre como vive o Brasil rural

No início da Revolução Industrial, quando a terra começa a ser encarada como um bem de produção, indivíduos relacionados a uma elite agrária, que ficariam conhecidos como gentry, começaram a promover o cercamento de suas propriedades, que passaram a ser arrendadas para serem usadas, dentre outras coisas, como pasto. O resultado foi a expulsão do campo de uma grande massa de camponeses, há muitas gerações dedicado ao trabalho na terra. Uma massa significativa de pessoas, que agora não tinha outra alternativa a não ser migrar para as cidades e se transformar na mão de obra das indústrias têxteis que então apareciam com força pela Europa.
No Brasil dos anos 1930, no nosso primeiro grande surto de industrialização, o governo de Getúlio Vargas precisou também de um expediente, embora menos violento à primeira vista, para alavancar do campo a mão de obra para as indústrias. Foi criada então a CLT, que ao oferecer vantagens e benefícios aos trabalhadores urbanos – excluindo os do campo –, tor…

INOVAÇÃO: BEBENDO NA FONTE DA FILOSOFIA | Forno micro-ondas ou fogão a lenha?

O mundo caminha em busca de novidades. Você percebe que, nas diferentes áreas da vida, o inovar se coloca como uma necessidade, especialmente quando envolve a tecnologia aplicada. Da medicina à engenharia civil, há inúmeros exemplos de inovação. Na primeira, pesquisadores desenvolveram um método de IMPRESSÃO 3D PARA IMPLANTES MÉDICOS feito com silicone macio, o que os torna mais resistentes, mais rápidos, menos dispendiosos, mais flexíveis e mais confortáveis ​​do que os implantes atualmente disponíveis.
Já os SENSORES VESTÍVEIS são exemplos de inovação na engenharia civil. As companhias colocam sensores inteligentes nas roupas dos trabalhadores para obter ganhos em segurança. Por exemplo, os sensores avisam se houve algum impacto. Já relógios de pulso monitoram a temperatura corporal e evitam a exaustão térmica. Tantas outras inovações, nas mais diferentes áreas, nos circundam e abrem novas possibilidades para a evolução constante.
Em educação, essa ideia também está presente, porém po…

Declaração de amor à Língua Portuguesa

Hoje é comemorado o Dia de Portugal, de Camões e das comunidades portuguesas, uma data que acaba sendo direcionada para uma atenção especial para a Língua Portuguesa, um dos mais importantes traços a unir os nove países que utilizam o idioma. Aqui no Brasil ela está entre os símbolos nacionais e faz jus a essa condição na medida em que é um dos poucos exemplos em nível mundial de países com grandes extensões territoriais e diversidade cultural onde um único idioma satisfaz a função comunicativa e garante a integração entre um número muito grande de pessoas.
Os números mundiais da língua portuguesa também são bastante relevantes, apesar de à primeira vista não parecer. Algo em torno de 260 milhões de pessoas no planeta utilizam a língua de Camões. Isso faz com que ela seja atualmente a quarta mais falada no mundo, perdendo apenas para o mandarim, o inglês e o espanhol. É também a terceira mais falada no Ocidente, a mais utilizada no hemisfério sul da terra e uma das poucas presentes em…

Inove na Ação com a Sala de Aula Invertida

Uma nova forma de encaminhamento que chegou para ficar, a Sala de Aula Invertida é a INVERSÃO DA LÓGICA DO ENCAMINHAMENTO PEDAGÓGICO EM SALA DE AULA, por isso é assim denominada. De forma simplificada, podemos dizer que a organização do trabalho no interior da classe se inverte. Vamos entender como isso ocorre.
O QUE É, NA PRÁTICA, UMA SALA INVERTIDA? Pare e pense. Como funciona a dinâmica das salas de aulas convencionais/tradicionais, as não invertidas? Em geral, o aluno tem acesso ao conteúdo na sala de aula, quando o professor dá uma aula expositiva sobre o tema, e em casa faz outras atividades e exercícios de fixação da aprendizagem. Quando esse processo se inverte, a aula (ou o processo de aprendizagem de um conteúdo) começa em casa ou em qualquer outro lugar, sendo o aluno orientado a acessar videoaulas, textos, games, aplicativos, canais do YouTube, simulações, animações, tanto por meio de um ambiente virtual de aprendizagem, em que se aprende de forma lúdica, inovadora e divertid…